Últimas Notícias Nova Previdência Cotações Comprar ou Vender Criptomoedas Empresas
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Fed mantém política monetária atual e sinaliza alta de juro básico só em 2020

Valter Outeiro da Silveira - 20/03/2019 - 15:18
Jerome Powell
Autarquia mantém postura cautelosa na condução da (Imagem: Facebook do Federal Reserve)

O Federal Reserve manteve a política monetária atual, ao permanecer com a Fed Funds Rate dentro do intervalo de 2,25% a 2,5% ao ano. Mais do que a decisão em si, a autarquia sinaliziou não realizar qualquer movimento adicional altista no juro básico norte-americano.

O que ainda está barato na Bolsa? Veja as 6 ações negociadas em nível “pechincha”

Fechada nos últimos 10 meses, agora está reaberta, por tempo limitado. Veja como é possível ter 5 anos de lucro na Bolsa em apenas uma operação de curto prazo

A redução da projeção da taxa média de juros para 2019, de 2,9% para 2,4%, corrobora para a não expectativa de alta. Para 2020 e 2021, houve redução nas estimativas das taxas para 2,6%, ante 3,1% anteriormente. A taxa de juros de longo prazo foi mantida em 2,8%

Com a atualização das estimativas, aumenta-se a expectativa dos investidores de que o Fed podera estar próximo da taxa neutra de juro, na qual há promoção de inflação benigna sem arrefecimento do crescimento econômico, sem riscos de recessão.

“As informações recebidas desde o encontro do FOMC (Federal Open Market Committee) em janeiro indicam que o mercado de trabalho continua forte, mas que o crescimento da atividade econômica desacelerou em relação à sua taxa sólida no quarto trimestre”, afirmou o Fed em comunicado.

Parcimônia predomina

Em relação as projeções econômicas, a cautela também predomina: a autarquia reduziu suas estimativas de crescimento neste ano para 2,1% – 20 pontos-base abaixo da última previsão de dezembro, de variação positiva de 2,3%.

Como decorrência do menor nível de atividade, as projeções para a inflação também foram cortadas em 0,1 ponto percentual, para 1,8% ao ano. A taxa de desemprego sofreu também alteração em sua estimativa, de 3,5% para 3,7% ao final de 2019.

Money Times no Messenger!
Notícias selecionadas para você
Recomendados para você
Exclusivo: Método de Luiz Barsi é revelado em curso inédito