Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Debate na Globo gera 1,64 milhão de tuítes, 52% a mais que em 2014

Victor Fermino - 05/10/2018 - 11:11

O levantamento de redes sociais da FGV DAPP divulgado hoje (5) mostra o impacto do debate de ontem, organizado pela TV Globo, no cenário eleitoral. De acordo com os analistas, a ausência de Jair Bolsonaro (PSL) foi muito relevante nas redes sociais.

O candidato do PSL — que, simultaneamente ao debate, deu uma entrevista à TV Record — foi o presidenciável mais citado no Twitter durante a transmissão do evento, acumulando 563,3 mil menções entre as 22 horas e a 1 da manhã de hoje. Bolsonaro ficou bem à frente de Ciro Gomes, que registrou 455,9 mil tuítes e despontou como segundo candidato mais citado. No total, nesse período, foram 1,64 milhão de referências aos sete participantes na rede social, mais Bolsonaro.

Fernando Haddad (PT) foi citado 266,5 mil vezes, atrás de Guilherme Boulos (PSOL), cujo comentário sobre a ditadura militar ocupou o cenário de discussões políticas no Twitter: Boulos teve 402,1 mil menções ao longo do programa, e, por volta das 22h30m, foi responsável pelo pico de referências aos presidenciáveis, com média de 17,7 mil tuítes por minuto. O último debate de 2014, também na Globo e no mesmo período de tempo, teve 1,08 milhão de tuítes sobre os então participantes. Foi um crescimento de 52% no volume de menções no Twitter em quatro anos.

Também participaram Marina Silva (143,3 mil tuítes), Geraldo Alckmin (91 mil), Henrique Meirelles (98,7 mil) e Alvaro Dias (74 mil). Nas duas primeiras horas de confronto entre os candidatos, coincidindo com a entrevista de Bolsonaro (que se iniciou às 22h, junto com o debate), foi mais aquecida na rede social a discussão política, com 1,23 milhão de menções registradas. Já para o fim, houve forte queda no volume de interações entre os perfis no Twitter, com Ciro superando Bolsonaro como candidato mais destacado entre a 0h e a 01h desta sexta. A transmissão na Globo se encerrou por volta de 0h45m, e, durante a exibição do debate, foram 660 mil tuítes com a hashtag #debatenaglobo, com ou sem fazer referência aos presidenciáveis.

Grupos de debate

O instituto mapeou as principais interações e listou os principais grupos a participarem do debate nas redes sociais:

“Em um debate de pouco impacto específico de pautas ou agendas de políticas públicas, a despeito das temáticas que faziam parte das perguntas do evento, a busca por espaço entre os dois polos que se apresentam como os favoritos ao segundo turno, Haddad e Bolsonaro, deu o tom das discussões entre os presidenciáveis e nas redes, para além de piadas e ironias sobre os candidatos e o cenário político”, diz a FGV. “A questão econômica, porém, se sobressaiu a outros assuntos, com predomínio de associações a Haddad, que recordou ações dos governos do PT e discutiu questões voltadas ao combate à desigualdade e a direitos trabalhistas, e a Bolsonaro, criticado pelos adversários por declarações que já deu sobre o tema e por posições do candidato a vice, general Hamilton Mourão, e do economista Paulo Guedes. ”

Por fim, a FGV mapeou também a relação entre menções de assuntos específicos e os candidatos aos quais esses temas foram associados:

Última atualização por Victor Fermino - 05/10/2018 - 11:11