Últimas Notícias Cotações Governo Bolsonaro Comprar ou Vender Empresas Economia
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Bolsonaro tem 59% e Haddad 41%, mostra pesquisa eleitoral do Ibope

Gustavo Kahil - 15/10/2018 - 19:22

A primeira pesquisa eleitoral do Ibope/Estado/TV Globo no segundo turno mostra que 59% dos eleitores votariam no candidato do PSL, Jair Bolsonaro, enquanto 41% deles escolheriam Fernando Haddad (PT).

Na semana passada, o Datafolha encontrou números semelhantes ao conferir um resultado de 58% a 42%.

O levantamento publicado nesta segunda-feira (15) mostra que o capital reformado do Exército abriu 18 pontos porcentuais de vantagem desde o primeiro turno, quando venceu por 46% a 29%. Além disso, a rejeição a Bolsonaro ficou em 35%, enquanto Haddad tem 47%.

Votos convictos 

Além de perguntar aos entrevistados quem é seu candidato preferido, o Ibope procurou medir o potencial de voto de cada um dos concorrentes. Após citar o nome de cada um dos candidatos, os entrevistadores perguntaram se votariam em cada um dos candidatos “com certeza”, se “poderiam votar” ou “se não votariam de jeito nenhum”. Jair Bolsonaro é o candidato com mais votos declarados e convictos: 41% disseram que votariam nele “com certeza”. O percentual de voto “certo” em Haddad é de 28%.

Ibope ouviu 2.506 eleitores nos dias 13 e 14 de outubro. A margem de erro é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos, e o intervalo de confiança é de 95%. Isso significa que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro. O registro na Justiça Eleitoral foi feito sob o protocolo Nº BR-01112/2018.

O que vem pela frente?

Na quarta-feira (17), é a vez do Instituto Paraná – Empiricus e da IPSOS Brasil publicarem novos levantamentos. O Datafolha deve publicar a sua pesquisa eleitoral na quinta-feira (18).

Bolsonaro aguarda a próxima quarta-feira para definir o roteiro de viagens e se irá participar de debates. Ele já avisou, contudo, que pretende participar, de no máximo, dois debates na televisão. E não descarta, por estratégia, não participar de nenhum.

Últimas Notícias