Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Estudo mostra que 25% das fintechs brasileiras operam com meios de pagamento; veja íntegra

Diana Cheng - 23/01/2019 - 19:43
(Arquivo/Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

O boostLAB, projeto criado pelo BTG Pactual (BPAC11), divulgou nesta quarta-feira (23) o estudo “As tendências de meios de pagamento no Brasil em 2019”, que estima que, em 2019, US$ 1 trilhão seja transacionado via meios de pagamentos móveis.

Vale deverá apresentar “fortes resultados” no quarto trimestre, diz Safra

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Cenário brasileiro

Continua depois da publicidade

Segundo o estudo, 34% do consumo das famílias já é feito por meio eletrônico.

No Brasil, quatro características marcam o mercado: concentração bancária – 82% das operações de crédito vêm de cinco bancos; “desbancarização” – 30% da população não possui acesso formal bancário; população conectada – 57% das transações são feitas online; e regulamentação.

Oportunidades

O número de empreendedores e fintechs que atuam em meios de pagamento cresceu, principalmente em negócios de nicho ou regionais. Das 422 fintechs existentes no país, 114 estão no setor.

Elas se dividem entre três principais subsetores: emissores, adquirentes/subadquirentes e carteiras digitais.

Das cinco startups brasileiras classificadas como unicórnios, três são de meios de pagamento: NuBank, PagSeguro e Stone.

O valor investido em negócios privados – liderados por anjos, fundos e empresas – em fintechs dessa área cresceu mais de sete vezes em apenas três anos. Em 2018, alcançou um recorde de R$ 1,5 bilhão.

Confira o estudo na íntegra:

Money Times no Messenger!
Notícias selecionadas para você