Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Entrevista: Emergentes oscilam exuberância irracional e o pessimismo excessivo, diz Mark Mobius

Gustavo Kahil - 09/11/2018 - 16:49

Os investidores não devem ficar muito preocupados com a recente volatilidade nos mercados emergentes. Esta é a visão do renomado gestor Mark Mobius, que após 30 anos na Fraklin Templeton agora lançou a sua própria casa, a Mobius Capital Partners. Os produtos serão distribuídos em toda a América Latina pelo BTG Pactual.

“Risco é oportunidade. Quanto maior a crise, maior o número de oportunidades para fazer investimentos bem-sucedidos. Ao longo da minha carreira de investimento de 30 anos, aprendi que os mercados emergentes oscilam entre a exuberância irracional e o pessimismo excessivo”, diz em uma entrevista concedida ao Money Times.

Quais são os critérios ESG (Environmental, Social and Governance) utilizados pelo Mobius Emerging Markets Fund e quais empresas brasileiras atendem às suas necessidades?

As metas de desenvolvimento de sustentabilidade das Nações Unidas são a base fundamental da nossa estrutura ESG. No entanto, nossa ênfase específica está em critérios de governança, como alocação de capital, estruturas de remuneração da administração e independência do conselho. Acreditamos que padrões mais baixos de ESG em mercados emergentes e de fronteira oferecem uma oportunidade única para nossa abordagem de engajamento ativo. Portanto, pretendemos ir além de simples telas de exclusão e modelagem ESG. As empresas com maiores ineficiências inerentes também têm maior potencial de crescimento. Os investidores podem criar valor associando-se a empresas de portfólio e fornecendo um caminho ESG claro.

Como ainda estamos no processo de alocação de capital, infelizmente não podemos falar sobre participações individuais.

O Mobius Fund está focado em investidores individuais ou outros investidores que são obrigados a investir em empresas ESG?

O Mobius Emerging Markets Fund está aberto a investidores institucionais e de varejo. Queremos garantir que todos os investidores latino-americanos estejam cientes dessa próxima geração de líderes ESG em potencial que já estão operando localmente e em mercados emergentes e fronteiriços mais amplos. O ESG sempre foi uma grande temática para os investidores, no entanto, costumávamos chamá-lo de gerenciamento de risco.

Alguns dizem que as ações brasileiras são baratas em dólar, mas isso já é verdade há algum tempo. Por quê?

Sim, várias ações brasileiras são baratas em dólar, mas isso nem sempre é verdade. Houve ocasiões em que as empresas brasileiras eram muito caras. No entanto, nos últimos anos, o escândalo da Lava Jato e o declínio do real fizeram com que o número de ações baratas aumentasse.

O Brasil está em uma posição melhor do que outros mercados emergentes para administrar um mundo desenvolvido com taxas de juros crescentes e crescimento lento (Japão, China e Zona do Euro)?

O Brasil está em excelente posição para administrar a situação de aumento das taxas de juros e de crescimento lento. Há um mercado consumidor muito grande no Brasil e o país é abençoado com recursos naturais e humanos. As taxas de juros já são altas, então as empresas e as pessoas estão acostumadas a condições difíceis e são capazes de se ajustar.

Quais setores e ações estão melhor posicionados no Brasil para ganhar com a nova perspectiva política e econômica?

Estamos particularmente interessados ​​nas indústrias de consumo e também de manufatura no Brasil. O Brasil é abençoado por um setor privado muito forte. Não apenas o setor bancário provou ser resistente a crises, mas um grande número de empresas brasileiras progrediu muito na última década. Existem fortes modelos de negócios voltados para o mercado doméstico, mas também cada vez mais voltados para os mercados de exportação.

Existe algum outro comentário que você gostaria de nos dar?

Os investidores não devem ficar muito preocupados com a recente volatilidade nos mercados emergentes e de fronteira. Risco é oportunidade. Quanto maior a crise, maior o número de oportunidades para fazer investimentos bem-sucedidos. Ao longo da minha carreira de investimento de 30 anos, aprendi que os mercados emergentes oscilam entre a exuberância irracional e o pessimismo excessivo. O que mais importa é uma compreensão profunda dos fundamentos. A correção atual do mercado abre muitas oportunidades interessantes.

Última atualização por Gustavo Kahil - 10/11/2018 - 20:01