Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

ELAS: Escola de liderança feminina alcança mais de 3.000 mulheres em 2018

Diana Cheng - 16/03/2019 - 10:15
Carine Roos e Amanda Gomes, fundadoras da ELAS (Imagem: Divulgação)

A participação da mulher em cargos de liderança continua sendo inferior, segundo dados da última pesquisa feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A representatividade é de apenas 39,1%. Pensando em reverter este cenário, duas empreendedoras fundaram a ELAS, primeira escola de liderança feminina no Brasil. O programa alcançou mais de 3.000 mulheres e certificou cerca de 180 só em 2018.

Carteira Money Times: O Consenso do Mercado na sua Mão

Garanta um método eficaz para gerar renda adicional periodicamente…

A ELAS fornece mentorias, workshops, palestras, cursos e treinamentos, que abrange uma formação mais completa. O programa é dividido em três módulos, voltado para mulheres que desejam desenvolver o autoconhecimento e certas técnicas de negociação e influência, alinhados aos Sete Princípios do Empoderamento das Mulheres nas Empresas, defendidos pela ONU.

Continua depois da publicidade

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

De acordo com Carine Roos e Amanda Gomes, fundadoras da escola, o maior objetivo é desenvolver a confiança das participantes para que elas se tornem aptas a assumirem posições de destaque no mundo.

“Nós sempre vimos muitas iniciativas de apoio, mas poucas ações práticas capazes de transformar esse cenário”, admite Roos.

De cem mulheres certificadas, a ELAS chegou à conclusão de que 30% receberam salários maiores ou foram promovidas. Além dessa conquista, as participantes também ressaltam a melhora na produtividade, no foco, na comunicação e no desenvolvimento pessoal.

Continua depois da publicidade

“Nós identificamos que nossas alunas finalizam o curso mais ambiciosas para conquistar espaços no mercado de trabalho e cientes de seus valores como pessoa e mulher”, completa Gomes.

Saiba mais no site do programa.

Última atualização por Vitória Fernandes - 15/03/2019 - 19:24