Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Dólar fecha acima de R$ 4 com força da moeda no exterior

Reuters - 04/11/2019 - 17:09
O dólar à vista fechou em alta de 0,43%, a 4,0121 reais na venda (Imagem: REUTERS/Marcos Brindicci)

O dólar fechou em alta nesta segunda-feira, voltando a ficar acima dos 4 reais, seguindo a força da moeda norte-americana no exterior a despeito do dia mais favorável aos mercados globais de ações.

O dólar à vista fechou em alta de 0,43%, a 4,0121 reais na venda.

A moeda chegou a cair para 3,9760 reais na venda (-0,48%) logo após a abertura, para depois se estabilizar em torno de 3,99 reais e posteriormente ganhar força na parte da tarde.

Na B3, o dólar futuro de maior liquidez  tinha ganho de 0,63%, a 4,0215 reais, às 17h17.

O dia foi marcado por recordes em Wall Street  e na bolsa brasileira, em meio ao otimismo quanto a um acordo comercial entre China e Estados Unidos. Mas esse fator não foi suficiente para amparar moedas pelo mundo, com os dólares australiano <AUD=> e neozelandês <NZD=>, o peso mexicano <MXN=> e a lira turca <TRY=> –algumas das moedas de risco mais líquidas– cedendo terreno frente ao dólar.

Enquanto isso, o índice do dólar contra uma cesta de seis rivais do G10 <.DXY> subia 0,32%, acelerando os ganhos na parte da tarde.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

A força do dólar, contudo, pode ser um ajuste depois de quedas recentes, segundo alguns analistas. Além disso, o real teve em outubro o segundo melhor mês do ano, o que também colabora para alguma correção da divisa, pelo menos no curto prazo, o que sugere um cenário ainda positivo para a taxa de câmbio.

“No livro de moedas, montamos uma posição comprada no real contra o dólar. Acreditamos que essa aposta é favorecida pelos bons fundamentos locais e por uma janela de oportunidade global”, disseram estrategistas da Paineiras Investimentos em carta mensal.

Para eles, a confirmação da reforma da Previdência, a recuperação da atividade, a agenda de leilões e fluxos vinculados à cessão onerosa contribuem para o quadro de apreciação da moeda.

Leia mais sobre: Câmbio, Dólar, Mercados, Moedas, Reuters

Última atualização por Bruno Andrade - 04/11/2019 - 17:30