Cotações por TradingView

Direto de Cannes: Future Lions

Opinião - 19/06/2018 - 22:49

Por Giovanna Ricci, jornalista que trabalha com propaganda há mais de uma década em grandes agências

Esse ano fiz uma verdadeira imersão no Future Lions como PR da AKQA. A ideia era apresentar o festival pela ótica de um vencedor e assim incentivar os estudantes brasileiros a participarem.

Entre os criativos do escritório paulistano da AKQA, está Ludvig Pehrson, um jovem profissional sueco talentosíssimo que ganhou o Future Lions e foi convidado a trabalhar durante 3 anos em 3 escritórios diferentes da rede. Depois de passar por Londres e NY, Ludvig elegeu São Paulo para essa experiência.

Continua depois da publicidade

No início do ano, ficamos muito próximos pois a ideia era leva-lo para as universidades brasileiras para falar sobre como é participar e ganhar o “primeiro leão de Cannes da carreira”. Nessa categoria os estudantes não precisavam ter um case real, precisavam apenas de uma boa ideia para uma marca qualque, mas que usasse uma tecnologia que não existia há 3 anos.

Para minha alegria, ao chegar em Cannes na segunda-feira, soube que dos cinco times ganhadores do Future Lions, dois eram brasileiros.

Na terça-feira de manhã eu encontrei com os quatro criativos brasileiros ganhadores do Future Lions 2018 para um café da manhã. Todos pareciam estar na Disney pela primeira vez, tamanha a excitação.

Ah! Mais uma descoberta… ambos os times premiados eram do Rio de Janeiro.

Uma das duplas, composta por Alexandre Oliveira e João Muri, me contou que a ideia da peça surgiu do hábito do brasileiro em parcelar suas compras. Eles estavam pesquisando tecnologias do Google para o prêmio e encontram os painéis solares. Juntaram parcelamento com a tecnologia, mas faltava um banco para financiar a operação. Procuraram por um instituição financeira que fosse conhecida globalmente e que tivesse uma atitude sustentável. Encontraram o parceiro perfeito: o Nationwide. Alinharam os cosmos, ou melhor, as marcas, desenvolveram o case e inscreveram.

Souberam da vitória por meio de um telefonema do escritório francês da AKQA. E a notícia chegou apenas 2 dias depois de terem ganhado uma prata com outra peça no NY Festival. Surpresa, realização e nervosismo foram algumas das palavras da dupla para descrever a reação que tiveram ao saber e depois ao subir no palco.

O outro time brasileiro é formado por Davi Correia, Felipe Latgé, André Pico e Bruno Buhr. Mas apenas os dois primeiros vieram para Cannes. A ideia do case deles é para acabar com a proliferação das “Fake News”. Com as eleições brasileiras em voga, o escândalo da Cambridge Analytics e a proliferação de notícias falsas via redes sociais, o time encontrou uma maneira viável de acabar ou ao menos diminuir esse problema via “block chain”.

Curiosamente nenhum dos dois atendeu ao telefonema da França, mas um deles, o Davi, não se aguentou e mandou uma mensagem via Whatsapp perguntando o assunto do telefonema. Lágrimas e um “não acredito” protagonizaram o momento da descoberta. Ambos estavam com a expectativa baixa, “não acreditavam que isso ia acontecer nessa fase da vida profissional”. Assim como a outra dupla, Davi e Felipe também ganharam, recentemente, premiações na categoria estudantes: o CCRJ Futuro e o Luzos. “Só que ganhar Cannes é bem diferente”, segundo confidenciaram durante o café. 

Quando eu perguntei para os quatro sobre o que eles achavam que iria acontecer e se eles estavam dispostos a possivelmente mudar de cidade, João Muri me deu uma resposta tão encantadora que eu não poderia deixar de mencionar… ele falou que esperava que eles pudessem continuar no Rio, trabalhando e honrando a cidade.

Alguma dúvida de o que o futuro está bem encaminhado? Pelo menos, no futuro da criatividade publicitária a sensação é essa. 

Grave bem esses nomes… em no máximo 10 anos devemos escutar muito sobre esses garotos cariocas da Miami Ad School e da ESPM.

Acesse os links abaixo para assistir aos cases premiados em 2018: 

Brasileiros:

Truth Detector

Financed by the Sun for Nationwide

Os estrangeiros vencedores:

Hush for Apple

TrashScan for Google and Conversation International

Tittut for Ikea

Leia mais sobre: Cannes, Marketing, Opinião
Money Times no Messenger!
Notícias selecionadas para você