Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

CSN, TIM, Renner e mais 4 divulgam balanços nesta terça; confira as expectativas

Investing.com Brasil - 30/07/2019 - 13:27
Tim divulga o balanço nesta terça-feira (Imagem: Renan Dantas/Equipe Money Times)

Por Investing.com

A terça-feira, após o fechamento do mercado será um dia de bastante movimento no que diz respeito à divulgação de balanços do segundo trimestre do ano. Sete companhias vão publicar seus números, com destaque para a Companhia Siderúrgica Nacional CSN (CSNA3), Lojas Renner (LREN3) e TIM (TIMP3).

Na espera desses dados, as ações da CSN operam com queda de 0,31% a R$ 16,32, enquanto que as da Eletropaulo (ELPL3) cedem 0,32% a R$ 47,10 e as da Smiles (SMLS3) somam 0,30% a R$ 37,39. No caso da CTEEP (TRPL4), os papéis caem 0,04% a R$ 24,45, enquanto Lojas Renner soma 0,06% a R$ 48,47 e Sonae Sierra (SSBR3) ganha 0,66% a R$ 35,23.

Confira as expectativas:

CSN

O consenso do mercado para a siderúrgica é de lucro líquido de R$ 0,57 por ação, sendo que no mesmo período do ano passado o resultado havia sido de R$ 0,54, o que ficou e linha com o esperado. Já nos três primeiros meses do ano, o lucro foi de R$ 0,03 por ação, abaixo dos R$ 0,07 esperados.

Para as receitas, a mediana dos analistas aponta para R$ 6,74 bilhões entre abril e junho deste ano, diante de resultado de R$ 5,69 bilhões de um ano antes, quando a expectativa também era de R$ 5,69 bilhões. Na abertura de 2019, as receitas foram de R$ 6,01 bilhões.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

O BTG Pactual (BPAC11) espera que a CSN feche o trimestre com lucro líquido de R$ 1,069 bilhão, sendo que um ano antes foi de R$ 1,190 bilhão. Já para as receitas, a estimativa é de R$ 6,788 bilhões, contra R$ 5,687 bilhões do mesmo período de 2018. Para o Ebitda, a projeção é de R$ 2,0 bilhões com margem de 29%, sendo que entre abril e junho do ano passado foi de R$ 1,420 bilhão. A recomendação para o ativo é de compra.

Eletropaulo

Expectativa não disponível.

Smiles

O consenso de mercado para a empresa de programa de fidelidade é de lucro líquido de R$ 1,25 por ação, sendo que no mesmo período do ano passado o resultado havia sido de R$ 0,92. Já nos três primeiros meses do ano, o lucro foi de R$ 1,14 por ação.

Para as receitas, a mediana dos analistas aponta para R$ 255 milhões entre abril e junho deste ano, diante de resultado de R$ 459,7 milhões de um ano antes. Na abertura de 2019, as receitas foram de R$ 241 milhões, o que ficou abaixo do que os R$ 446,47 milhões que eram aguardados.

Com recomendação neutra para as ações da Smiles, o BTG espera que lucro líquido seja de R$ 151 milhões, diante de resultado anterior de R$ 114 milhões. Já para a receita no trimestre de 2019, a expectativa é de R$ 602 milhões, contra R$ 460 milhões do mesmo período do ano passado. No caso do Ebitda, o banco espera R$ 184 milhões e margem de 30%, contra R$ 135 milhões entre abril e junho de 2018.

TIM

A companhia de telecomunicações deve encerrar o segundo trimestre com lucro líquido de R$ 0,14 para cada ação, diante de R$ 0,14 do mesmo trimestre de 2018, quando eram esperados R$ 0,15. Já entre janeiro e março de 2019, o lucro para cada papel foi de R$ 0,05, também inferior a estimativa de R$ 0,16.

Para as receitas, a aposta do mercado é de R$ 4,28 bilhões, sendo que um ano antes foi de R$ 4,16 bilhões, cenário que eram esperados R$ 4,18 bilhões. Já nos três primeiros meses de 2019, as receitas foram de R$ 4,19 bilhões, ligeiramente abaixo dos R$ 4,3 bilhões que eram esperados.

A recomendação do BTG para as ações da TIM é de compra e o banco espera com a companhia registre lucro líquido de R$ 390 milhões, receitas de R$ 4,236 bilhões e Ebitda de R$ 1,599 bilhão, com margem de 38%. Um ano antes, os resultados foram, respectivamente, de R$ 335 milhões, R$ 4,171 bilhões e R$ 1,567 bilhão.

 CTEEP

A elétrica deve encerrar o segundo trimestre com lucro líquido de R$ 0,70 para cada ação, diante de R$ 1,49 do mesmo trimestre de 2018. Já entre janeiro e março de 2019, o lucro para cada papel foi de R$ 0,13.

Para as receitas, a aposta do mercado é de R$ 900 milhões, sendo que um ano antes foi de R$ 581 milhões, cenário que eram esperados R$ 481,01 milhões. Já nos três primeiros meses de 2019, as receitas foram de R$ 713 milhões, superando os R$ 694 milhões que eram esperados.

O BTG Pactual estima que a companhia registre entre abril e junho deste ano lucro líquido de R$ 263 milhões, sendo que um ano antes foi de R$ 339 milhões. Já para as receitas, as apostas são de R$ 614 milhões, contra R$ 739 milhões do mesmo trimestre de 2018. Já o Ebtida deve ficar em R$ 498 milhões e margem de 81%, contra R$ 349 milhões de um ano antes. O banco tem recomendação de compra para o ativo.

Lojas Renner

O consenso de mercado para a varejista de vestuário é de lucro líquido de R$ 0,35 por ação, sendo que no mesmo período do ano passado o resultado havia sido de R$ 0,38. Já nos três primeiros meses do ano, o lucro foi de R$ 0,21 por ação acima dos R$ 0,19 esperados.

Para as receitas, a mediana dos analistas aponta para R$ 2,27 bilhões entre abril e junho deste ano, diante de resultado de R$ 2,02 bilhões de um ano antes. Na abertura de 2019, as receitas foram de R$ 1,89 bilhão, o que ficou acima do que os R$ 1,88 bilhão que eram aguardados.

Para a Lojas Renner, o BTG tem recomendação de compra. Os analistas esperam que a companhia tenha lucro líquido de R$ 282 milhões, sendo que no mesmo período de 2018 foi de R$ 275 milhões. Para a receita, a projeção do banco é de R$ 2,111 bilhões, ante R$ 1,780 bilhão do segundo trimestre do ano passado. Para o Ebitda, a expectativa é de R$ 497 milhões e margem de 24%, contra R$ 353 milhões na base anual.

Sonae Sierra

O consenso de mercado para a empresa administradora de shoppings é de lucro líquido de R$ 0,48 por ação, sendo que no mesmo período do ano passado o resultado havia sido de R$ 0,55. Já nos três primeiros meses do ano, o lucro foi de R$ 0,38 por ação, quando eram esperados R$ 0,44.

Para as receitas, a mediana dos analistas aponta para R$ 104,57 milhões entre abril e junho deste ano, diante de resultado de R$ 88,62 milhões de um ano antes. Na abertura de 2019, as receitas foram de R$ 94 milhões, o que ficou abaixo do que os R$ 104,62 milhões que eram aguardados.

Última atualização por Rafael Borges - 30/07/2019 - 13:28