Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Consumidor brasileiro consegue comprar 476 litros de gasolina com salário, revela pesquisa

Diana Cheng - 18/07/2019 - 16:12
Com o litro da gasolina a R$ 4,35 – ou US$ 1,11 – e o salário líquido médio de R$ 2 mil – ou US$ 528 –, o consumidor brasileiro consegue comprar 476 litros de combustível com o que ganha

Quanto de gasolina é possível comprar com um salário no Brasil? A nova pesquisa realizada pelo time analítico do Picodi tomou como base o preço médio de um litro de gasolina no primeiro semestre de 2019 – R$ 4,35 ou US$ 1,11 – e o salário líquido médio do brasileiro – R$ 2 mil ou US$ 528 – e chegou à conclusão de que o consumidor brasileiro consegue comprar 476 litros do combustível com o que ganha.

Na Argentina, a média é mais alta, uma vez que o salário líquido médio é mais alto – US$ 580 – e o preço médio da gasolina é menor – US$ 0,96. O consumidor argentino consegue adquirir, portanto, 607 litros.

Em El Salvador, o salário líquido médio é de US$ 425 e o preço médio do combustível é de US$ 0,90, o que ao consumidor comprar 474 litros.

A gasolina mais barata é da Venezuela. O preço está a US$ 0,000000002. Com o salário líquido médio de US$ 29, é possível comprar mais de 14 bilhões de litros. Pelo fato do país estar mergulhado em uma forte crise, o Picodi desconsidera que essa seja a melhor relação entre o valor do combustível e a média salarial nas Américas.

A posição fica para os Estados Unidos, com um salário líquido médio de US$ 3,6 mil e preço médio da gasolina em US$ 0,77. O consumidor norte-americano consegue comprar 4,7 mil litros de combustível.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Metodologia

Sobre o salário líquido médio, a pesquisa utilizou dados fornecidos por escritórios oficiais e órgãos nacionais de estatística. Os preços médios do primeiro semestre de 2019 em mais de 100 países foi baseado em dados do site globalpetrolprices.com.

Última atualização por Diana Cheng - 18/07/2019 - 16:13