Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Fast

Com lucro de R$ 1 bilhão no 2º trimestre, BB Seguridade eleva estimativas para 2019

06/08/2019 - 18:09
No primeiro semestre de 2019, o crescimento do lucro foi de 15,1% em relação ao mesmo período de 2018, maior resultado recorrente semestral da história da empresa (Imagem: Money Times)

A BB Seguridade (BBSE3) apresentou lucro líquido ajustado de R$ 1 bilhão no segundo trimestre do ano, de acordo com o balanço operacional divulgado pela companhia nesta terça-feira (6). No primeiro semestre de 2019, o crescimento foi de 15,1% em relação ao mesmo período de 2018, maior resultado recorrente semestral da história da empresa.

“O desempenho é consequência tanto da evolução do resultado operacional combinado das empresas do grupo, que apresentou crescimento de 10,7%, quanto do resultado financeiro combinado, que evoluiu 33,7%”, explica a BB Seguridade.

Com a divulgação do resultado, a companhia também revisou suas estimativas, entre elas a de crescimento do lucro líquido ajustado, antes de 5% a 10%, para 8% a 13%.

O número de prêmios de seguros emitidos no canal bancário cresceu 17,2% nos primeiros seis meses do ano, tendo o seguro prestamista como o principal destaque – alta de 86,6%. Os seguros de vida, habitacional e rural apresentaram alta de, respectivamente, 5,1%, 9,4% e 7,4%.

As projeções para os prêmios emitidos também foram revisadas e agora passa a contar com um intervalo crescimento de 10% a 15%.

As contribuições de previdência tiveram variação positiva de 21,3% no período, puxadas pelo aumento das contribuições médias e pela adição de novos planos.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

A capitação líquida cresceu 12,4% em 12 meses, com índice de resgates em 7,1%, o menor patamar da série histórica.

As estimativas de crescimento de reserva de previdência foram elevadas para um intervalo de 9% a 12%.

A arrecadação de títulos de capitalização subiu 12,5% no primeiro semestre, tanto por conta do aumento da arrecadação média quanto pelo crescimento de 10,9% na quantidade de títulos novos vendidos. As reservas chegaram a R$ 8,8 bilhões em junho.

Confira o balanço na íntegra:

Última atualização por Diana Cheng - 06/08/2019 - 18:09