Últimas Notícias Cotações Governo Bolsonaro Comprar ou Vender Empresas Economia
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Com lucro 12% maior, ações da BR Malls operam alta de mais de 4% na B3

Investing.com Brasil - 14/11/2018 - 13:46

Por Investing.com – As ações da BR Malls (BRML3) operam com valorização de 4,29% a R$ 11,90, depois que a administradora de shopping centers reportou lucro líquido ajustado de R$ 123,4 milhões, alta de 12% sobre o resultado obtido um ano antes, impulsionada por melhor resultado financeiro e redução em despesas com inadimplência de lojistas.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Para a Mirae Asset, no geral o resultado foi neutro, mesmo com um resultado operacional mostrando uma melhor eficiência da empresa, que foi impactada com a queda na receita de aluguéis. A corretora recomenda a compra, com upside de 9%.

Para o BTG Pactual (BPAC11), os números mostram uma tendência positiva para os papéis, com a recomendação de compra com preço-alvo em 12 meses de R$ 13,00. Os analistas indicam a tendência de queda nas despesas PDA, impulsionadas por uma boa redução nos problemas com lojistas.

O banco está otimista com setor de shopping center no país, uma vez que acredita na recuperação das vendas do varejo e nas baixas taxas de juros reais no longo prazo.

A companhia apurou uma geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado de 222,9 milhões de reais, crescimento anual de 7,7 por cento.

A taxa de inadimplência líquida recuou a 0,8 por cento no terceiro trimestre ante 1,7 por cento no segundo trimestre e também no terceiro trimestre do ano passado.

Enquanto isso, o aluguel por metro quadrado de julho a setembro foi de 92 reais, crescimento de 4,5 por cento ano a ano passado. A ocupação no período passou de 95,2 a 96,3 por cento.

A companhia afirmou no balanço que todos os segmentos apresentaram crescimento sequencial no trimestre, com destaque para lojas âncora. No comparativo anual, o oposto ocorreu, com todos os segmentos mostrando queda, algo que a BR Malls afirmou se tratar de efeito de base comparativa já que a liberação do FGTS no ano passado pelo governo federal favoreceu o gasto dos consumidores.