Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Com crise na Renova, mercado deve monitorar posicionamento da Cemig, dizem analistas

Diana Cheng - 15/10/2019 - 15:33
Cemig
“O endividamento continua sendo o principal desafio da Cemig, que vem implementando iniciativas para alongar o perfil e reduzir o custo de captação de recursos”, salientou a Guide

A XP Investimentos espera que o mercado monitore o posicionamento da Cemig (CMIG4) quanto à venda da totalidade da participação da Light (LIGT3) na Renova Energia (RNEW4) por R$ 1. Tendo a maior participação na empresa (36,2%), a Cemig tem o direito de preferência e poderá comprar as ações Light ou acionar o direito de venda conjunta.

“Esta última alternativa estaria em linha com as diretrizes do Governo Romeu Zema, mas implicaria no registro de um prejuízo dos investimentos realizados no passado”, salientou a corretora.

A Guide Investimentos segue com uma visão positiva para a Cemig pelos últimos esforços que tem feito com as vendas de ativos.

“O endividamento continua sendo o principal desafio da Cemig, que vem implementando iniciativas para alongar o perfil e reduzir o custo de captação de recursos”, salientou a corretora, que concluiu: “A privatização pode destravar ainda mais valor para a estatal”.

Em fato relevante, a Light informou a venda de todas as suas ações (17,17%) na Renova ao fundo CGI. Menos de uma semana antes, a AES Tietê (TIET11) anunciou o fim das negociações para a compra do projeto eólico Alto Sertão III.

No momento, a Renova negocia com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) pela prorrogação de empréstimo, que vence nesta terça-feira (15) para até 15 de janeiro de 2020.

Chegou a nova newsletter Comprar ou Vender

As melhores dicas de investimentos, todos os dias, em seu e-mail!

Recomendações

A XP traz recomendação neutra para os papéis da Cemig, com preço-alvo de R$ 15 e potencial de valorização de 7,91%.

O BTG Pactual (BPAC11), por sua vez, recomenda compra para companhia, com preço-alvo em R$ 14 e potencial de 0,9%.

Última atualização por Diana Cheng - 15/10/2019 - 15:33