Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Com cena externa às vésperas do G-20, Ibovespa futuro inicia a sessão com perdas

Investing.com Brasil - 25/06/2019 - 9:29
Investidor receoso por cenário externo nesta terça-feira

Por Investing.com

Após encerrar a sessão da véspera com leve valorização, o índice futuro do Ibovespa começa a terça-feira com perdas de 0,29% aos 102,650 pontos, em um cenário externo mais incerto às vésperas da reunião do G-20, a medida que a reforma da Previdência segue seu caminho para ter o parecer aprovado pela comissão especial da Câmara dos Deputados ainda nesta semana.

As 5 principais notícias do mercado internacional desta terça-feira

Continua depois da publicidade

Parlamentares aliados ao governo do presidente Jair Bolsonaro não devem “forçar a barra” ao buscar alterar o parecer do relator Samuel Moreira (PSDB-SP) na comissão especial da reforma da Previdência, disse nesta segunda-feira o presidente do colegiado, deputado Marcelo Ramos (PL-AM).

Confira as principais notícias dos jornais desta terça-feira

Em entrevista a jornalistas após uma palestra no Banco Itaú (ITUB4), Ramos disse que o relatório de Moreira —que desagradou o ministro da Economia, Paulo Guedes— é o texto que tem mais chance de obter apoio tanto na comissão especial quanto os 308 votos necessários para ser aprovado no plenário da Câmara.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, considera o encontro nesta semana com o líder chinês, Xi Jinping, uma chance para ver a posição chinesa na guerra comercial, e está “confortável com qualquer resultado”, disse uma autoridade dos EUA na segunda-feira.

O esperado encontro na cúpula do G20 no Japão será o primeiro frente a frente entre os dois presidentes desde que as negociações comerciais colapsaram em maio, levando a um aumento das tarifas dos EUA sobre as importações de produtos chineses.

A autoridade do governo, falando a repórteres sob condição de anonimato, negou-se a dar detalhes sobre os planos para a reunião, dizendo apenas que ela deve acontecer no segundo dia da cúpula em Osaka, que acontece na sexta-feira e no sábado.

Bolsas Internacionais

Em TÓQUIO, o índice Nikkei 500 recuou 0,19%. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 1,15%, a 28.185 pontos. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 0,87%, a 2.982 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 1,04%, a 3.801 pontos.

Mercados registraram baixas nesta terça-feira (25)

A terça-feira se mostra levemente negativa para os principais mercados de ações da Europa. Em Frankfurt, o DAX opera em queda de 0,01% aos 12.272 pontos, enquanto isso, o FTSE, de Londres, perde 0,12% aos 7.407 pontos. Já em Paris, o CAC cede 0,13% aos 3.448 pontos.

Commodities

Na bolsa de mercadorias da cidade chinesa de Dalian, onde são negociados os contratos futuros do minério de ferro, a sessão desta terça-feira foi marcada por nova desvalorização. O ativo de maior volume de negócios, com data de vencimento no mês de setembro do atual calendário, as perdas foram de 1,18%, a 798,50 iuanes para cada tonelada do produto, o que representa uma variação diária de 9,50 iuanes.

O ativo de maior volume de negócios, com data de vencimento no mês de setembro do atual calendário, as perdas foram de 1,18% (Imagem: Pixabay)

Já para o vergalhão de aço, que tem os papéis futuros transacionados na bolsa de mercadorias de Xangai, também na China, a jornada foi marcada por ganhos nos principais vencimentos. O contrato de maior liquidez, com entrega para outubro deste ano, a alta foi de 86 iuanes para 3.994 iuanes por tonelada. Já o segundo mais negociado, de janeiro de 2020, avançou 53 iuanes para 3.702 iuanes por tonelada.

Para o petróleo, o início da terça-feira se mostra negativo para os principais tipos de barris. Em Nova York, o WTI é negociado em queda de 0,47%, ou US$ 0,27, a US$ 57,63. Já em Londres, o Brent cai 0,65%, ou US$ 0,42, a US$ 63,72.

Mercado Corporativo

A produtora de açúcar e etanol São Martinho (SMTO3) estima que processará 22 milhões de toneladas de cana na temporada 2019/20, um aumento de 8% em comparação com o ano anterior, segundo fato relevante divulgado nesta segunda-feira, em que a empresa informa seu “guidance” para a safra.

Empresa estima que processará 22 milhões de toneladas de cana na temporada 2019/20, um aumento de 8% em comparação com o ano anterior

O aumento da moagem vai se dar como “resultado de melhores condições climáticas e projetos voltados ao aumento da produtividade”, disse a companhia, uma das maiores do setor no Brasil.

A empresa acrescentou que a concentração média de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) em 2019/20 deverá ser de 139 kg por tonelada, uma retração de 2% ante a safra anterior.

A São Martinho previu ainda uma produção de 1,4 milhão de toneladas de açúcar e 915 milhões de litros de etanol em caso de o mix atingir limite máximo em favor do adoçante, e de 1,055 milhão de toneladas de açúcar e 1,1 bilhão de litros de etanol se o mix favorecer o etanol em seu máximo.

Um plano para abertura do mercado de gás natural no Brasil pode contribuir para uma redução de 40% no preço da energia no país em menos de dois anos, o que seria importante para impulsionar a economia brasileira, disse nesta segunda-feira o ministro da Economia, Paulo Guedes, ao apresentar resolução do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) sobre o tema.

“Um choque de energia barata é tudo que todos sonham…, tem muita coisa boa quando se faz uma coisa como essa… Estamos superotimistas que isso vai fazer o Brasil crescer”, disse o ministro Paulo Guedes, acrescentando que monopólios impedem o desenvolvimento.

O movimento, na linha de um outro plano de se quebrar o monopólio da Petrobras (PETR4) na área de refino de petróleo, visa intensificar a desverticalização em toda a cadeia de gás natural, após a petroleira estatal ter já vendido participações majoritárias em gasodutos por bilhões de dólares, como foi o caso da Transportadora Associada de Gás (TAG) e da Nova Transportadora do Sudeste (NTS).

Estatal pretende quebrar seu monopólio em gás natural (Tânia Rêgo/Agência Brasil)

O Órgão de Solução de Controvérsias da Organização Mundial do Comércio (OMC) estabeleceu nesta segunda-feira painel de implementação no âmbito do contencioso do Brasil contra a Indonésia, relacionado à carne de frango brasileira, de acordo com nota dos ministérios de Relações Exteriores e Agricultura.

O Brasil, maior exportador global de carne de frango, informou em meados do mês que acionaria a Indonésia na OMC para contestar barreiras à importação do produto do país. Segundo a nota do governo brasileiro, em 2017 o Órgão de Solução de Controvérsias adotou decisão favorável ao Brasil na fase original da disputa.

O preço da carne suína exportada pelo Brasil disparou quase 50% no acumulado de junho na comparação com maio, no momento em que a China aumenta a demanda pelo produto para lidar com a redução das criações devido à peste suína africana.

A tonelada de carne suína foi exportada a cerca de 3.350 dólares, ante 2.260 dólares na média de maio, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior, do Ministério da Economia, divulgados nesta segunda-feira. Na comparação com junho do ano passado, o aumento no preço é de 72%.

Faltando cinco dias úteis para o término do mês, o total de carne suína embarcada em junho, em 14 dias úteis, somou 43,5 mil toneladas, ante 58,7 mil toneladas em maio completo. O volume embarcado já supera as 30 mil toneladas de junho de 2018.

O futuro dos contratos atribuídos à elétrica Renova Energia (RNEW11) para a construção de um complexo eólico na Bahia tem preocupado o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que emprestou quase 1 bilhão de reais para o empreendimento, segundo documentos vistos pela Reuters.

O projeto Alto Sertão III-Fase A foi paralisado pela Renova por falta de recursos em 2016, com obras 87% concluídas.

Light
A Renova Energia é controlada pela Light e pela Cemig

A empresa, controlada por Cemig (CMIG4) e Light (LIGT3), tem negociado a venda do ativo à AES Tietê (TIET11),, da norte-americana AES, mas a conclusão do negócio depende da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), uma vez que as usinas deveriam ter entrado em operação ainda em 2015.

Agenda de Autoridades

O presidente Jair Bolsonaro começa a terça-feira com um encontro com Jorge Antonio de Oliveira Francisco, Ministro-Chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, recebendo em seguida Karina Kufa, Advogada, além de ter reunião com Pedro Guimarães, Presidente da Caixa Econômica Federal.

Ainda pela manhã, tem encontro com Deputado Major Vitor Hugo (PSL/GO), Líder do Governo na Câmara dos Deputados; Deputada Greyce Elias (Avante/MG) e Durval Queiroz, jogador de futebol americano, seguido de reunião com Augusto Nardes, Ministro do Tribunal de Contas da União, além de receber Cuiabano Lima, Locutor de Rodeio, Narrador e Apresentador.

No final do dia, o presidente viaja para Sevilha, na Espanha.

Já o dia do ministro da Economia, Paulo Guedes, começa com um almoço com o presidente do Banco Central, Roberto Campos. Em seguida, participa da reunião semanal com o secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, Carlos Da Costa.

Guedes terá ainda reuniões com a secretária especial de Assuntos Internacionais e Comércio Exterior substituta, Yana Dumaresq, com o secretário especial de Desestatização e Desinvestimento, Salim Mattar, com Ronaldo Caiado, governador do Estado de Goiás, fechando o dia recebendo Camilo Santana, governador do Estado do Ceará.

Leia mais sobre: Ibovespa, Mercados

Última atualização por Bruno Andrade - 25/06/2019 - 9:32