Últimas Notícias Nova Previdência Cotações Comprar ou Vender Criptomoedas Empresas
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

BRF: empresa mira esforços em food service e ações registram alta de mais de 1%

Investing.com Brasil - 14/03/2019 - 12:21
Reestruturação da área de food service é vista com bons olhos pelo mercado (Crédito: Divulgação/BRF)

Por Investing.com

Operando com alta de 1,48% a R$ 20,60, as ações da BRF (BRFS3) estão entre as maiores altas do Ibovespa na sessão desta quinta-feira. O mercado recebeu bem a entrevista dada ao Valor Econômico pelo diretor de food service da companhia, Gerson Mantovani. Ele afirmou que a reestruturação da área vai permitir um crescimento de dois dígitos nos próximos anos.

A publicação destaca que, as vendas da companhia na área de food services, no país, representaram 14,1% da receita líquida, totalizando R$ 2,3 bilhões, e de 6,6% do faturamento total de um total de R$ 35 bilhões.

Carteira Money Times: O Consenso do Mercado na sua Mão

Cumprindo esse objetivo, o faturamento da área chegará a, pelo menos, R$ 2,5 bilhões. O segmento é importante uma vez que oferece maior rentabilidade, tendendo a ajudar a companhia na meta de recuperação de sua margem de lucro.

Mantovani reforçou o otimismo ao Valor, principalmente devido à retomada da economia e geração de emprego, estimulando que as pessoas voltem a sair de casa para fazer suas refeições. Segundo ele, esse mercado já teve crescimento de 5,7% nos dos primeiros meses do ano.

Garanta um método eficaz para gerar renda adicional periodicamente

Para chegar ao objetivo, a BRF deve lançar novos produtos para o food service, já em 2019, além do aumento da distribuição, com vendedores e caminhões específicos, para ampliar o número de clientes.

O executivo informou que cerca de 70% das vendas da BRF no segmento de food service são para restaurantes, hotéis e padarias, estando aí as principais oportunidades para a companhia. No segmento de fast food, principalmente hambúrguer, a BRF perdeu relevância nos últimos anos depois de perder a conta do McDonald’s para a rival JBS (JBSS3).

Leia mais sobre: Alimentos, BRF, Mercados