Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Braskem tem alta demais de 3% após STJ liberar distribuição de dividendos

Investing.com Brasil - 13/06/2019 - 11:44
braskem
Ações da Braskem sobem após permissão para distribuição de dividendos ser aceita pelo STF

Por Investing.com

Na parte da manhã da sessão desta quinta-feira na bolsa paulista, as ações da Braskem (BRKM5) operam com forte alta de 3,21% a R$ 35,38, repercutindo a decisão do presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha de liberar a distribuição de dividendos da companhia a para seus acionistas.

Braskem poderá deliberar sobre política de dividendos após decisão do STJ

Em abril, a pedido do Ministério Público e da Defensoria Pública do Estado de Alagoas , o pagamento havia sido bloqueado. Os órgãos obtiveram uma liminar para suspender a realização de assembleia que definiria sobre a distribuição dos proventos. A motivação estava em possíveis estragos ocorridos em bairros de Maceió por causa da extração de sal-gema na região pela petroquímica.

Com a decisão, uma das partes que se favorece é a Odebrecht, controladora da Braskem e que vive grave crise financeira, à beira de uma recuperação judicial. O grupo deve receber cerca de R$ 1 bilhão de dividendos da petroquímica, assim como Petrobras (PETR4), outra acionista da empresa. No total, serão distribuídos R$ 2,6 bilhões.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

O presidente do STJ explicou que apesar do minucioso exame do Desembargador relator, ele entende que, ao determinar a suspensão da referida assembleia e, em termos práticos, suspender a distribuição de dividendos, cujo montante é expressivo, o Juízo afetou, direta e indiretamente, a economia local e nacional.

Para a Mirae Asset, a notícia é positiva para os acionistas da petroquímica, principalmente Odebrecht, Petrobras e minoritários. Mesmo assim, o preço da ação deve continuar influenciada pelo fluxo negativo de notícias, como a desistência de aquisição da parte da Odebrecht, problemas na planta em Alagoas e a discussão com a SEC para retomar negociação de seu ADR no mercado de ações dos EUA.

Última atualização por Bruno Andrade - 13/06/2019 - 11:44