Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Bolsonaro vai considerar telefonema a Trump após analisar dados, diz porta-voz

02/12/2019 - 19:52
Otávio Rêgo Barros
Segundo Rêgo Barros, Bolsonaro entende que a medida tomada pelos Estados é “unilateral”(Imagem: Wilson Dias/Agência Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro vai avaliar a conveniência de telefonar para o presidente dos Estados Unidos, após Donald Trump ter anunciado mais cedo no Twitter que iria elevar taxas de importação de aço e alumínio brasileiros, informou o porta-voz da Presidência, general Otávio Rêgo Barros.

Segundo o porta-voz, Bolsonaro determinou aos ministérios da Economia, das Relações Exteriores e da Agricultura que adotem medidas necessárias a fim de trazer uma solução para o assunto “que atenda os interesses dos dois países”.

“Não temos a profundidade devida para tomarmos uma solução de pronto”, disse Rêgo Barros, ao destacar ser “óbvio” que o presidente acompanha o tema com “muito interesse” por ser fator importante para a balança comercial brasileira.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Durante o briefing à imprensa no Palácio do Planalto, o porta-voz  disse que seria “intempestivo” da parte de Bolsonaro, ainda sem ter conhecimento de todos os dados, de realizar uma  ligação para Trump para discutir a questão da sobretaxa dos minérios.

Ainda assim, segundo Rêgo Barros, Bolsonaro entende que a medida tomada pelos Estados é “unilateral”, mas ele tem a oportunidade de falar direto com o presidente dos Estados Unidos.

Por ora, repetindo discurso anterior de outras autoridades brasileiras, o porta-voz disse que a conversa sobre o tema está em nível técnico. Ele exemplificou que se deve falar sobre a valorização ou sobrevalorização do real frente ao dólar.

Trump justificou a retomada da taxação de aço e alumínio do Brasil e da Argentina pelo fato de, segundo ele, os dois países estarem promovendo uma “forte desvalorização” de suas moedas.

Última atualização por Renan Dantas - 02/12/2019 - 19:54