Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

BB deve sofrer maior impacto da recuperação judicial da Odebrecht, avalia banco de investimentos

Arena do Pavini - 28/06/2019 - 17:09
Desse total, R$ 51 bilhões referem-se ao processo de recuperação judicial, R$ 14,5 bilhões à extra-insolvência, ou seja, com garantias, e R $ 33 bilhões à dívida intercompanhia

Por Arena do Pavini

O grupo Odebrecht entrou com pedido de proteção judicial contra seus credores na semana passada. A dívida total, incluindo entre as subsidiárias, chega a R$ 98,5 bilhões na maior recuperação judicial já realizada no Brasil, superando os R$ 64 bilhões em renegociações da Oi.

Desse total, R$ 51 bilhões referem-se ao processo de recuperação judicial, R$ 14,5 bilhões à extra-insolvência, ou seja, com garantias, e R $ 33 bilhões à dívida intercompanhias. A Odebrecht tem R $ 18,1 bilhões em dívidas quirografárias com bancos, dos quais R $ 7,0 bilhões com o BNDES, R $ 4,75 bilhões com o Banco do Brasil e R $ 4,1 bilhões com a Caixa.

Outros R $ 14,5 bilhões possuem garantias reais: R $ 4,37 bilhões com o Bradesco, R $ 3,1 bilhões com o BB, R $ 3,0 bilhões com o BNDES e R$ 3,5 bilhões com o Itaú Unibanco. Os detentores de títulos internacionais e credores peruanos, especialmente as seguradoras de crédito, estão envolvidos no processo de recuperação judicial.

O Banco Brasil Plural, dono da Genial Investimentos, fez uma análise do impacto da recuperação judicial nos principais bancos.

Banco do Brasil – O banco está exposto à Atvos, empresa de agroindústria da Odebrecht, à construtora Odebrecht e à Braskem: R$ 1 bilhão está relacionado à Braskem, R$ 3,8 bilhões à Atvos e R$ 7,8 bilhões da Odebrecht.

O Brasil Plural espera que a inadimplência nas carteiras do BB e as provisões cresçam neste trimestre em função da exposição da Atvos, com o impacto potencial da Odebrecht chegando aos números do balanço do banco no terceiro trimestre.

Bradesco – A exposição da Odebrecht no banco é de R$ 4,4 bilhões, dos quais grande parte possui garantias. O Brasil Plural não espera impacto significativo da Odebrecht no provisionamento do Bradesco, pois o banco já havia reduzido sua classificação de crédito para E, exigindo 30% de provisões. A exposição do Bradesco à Atvos totaliza R $ 250 milhões, o que acreditamos já estar provisionado.

• Santander – O Brasil Plural estima que o Santander tenha exposição de apenas R$ 913 milhões (apenas 0,3% dos empréstimos brutos). Acredita também que a exposição já deve ter sido parcialmente provisionada e garantida com as ações da Braskem.

Itaú – A estimativa é que o banco tenha uma exposição de R$ 3,98 bilhões (0,7% do crédito bruto), portanto, já foi parcialmente provisionada e garantida com ações da Braskem.

Última atualização por Vitória Fernandes - 28/06/2019 - 17:09