Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

BB-BI eleva preço-alvo da Tenda de R$ 31,50 para R$ 34,40 e rating Outperform

Investing.com Brasil - 09/11/2018 - 16:18

Tenda

Por Investing.com – O Banco do Brasil (BBAS3) Investimentos (BB-BI) elevou o preço-alvo da Construtora Tenda (TEND3) de R$ 31,50 para R$ 34,40, mantendo a recomendação Outperform, depois de a companhia divulgar o balanço do terceiro trimestre do ano.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Para os analistas, os números foram sólidos, com a Tenda superando as estimativas do resultado financeiro em 20%, posicionando-se como uma das empresas mais fortes no segmento de baixa renda.

Continua depois da publicidade

Na visão do banco, os destaques operacionais ficaram para os lançamentos que apresentaram expressivo aumento tanto na comparação anual (+ 18,1%) e trimestral (+ 7,0%). Quanto às vendas líquidas, apresentaram um aumento de 27,1% a/a, mas praticamente estável em relação ao trimestre anterior (+ 1,8%). Os principais destaques considerando os dados do LTM foram a redução de 38,4% aa nos cancelamentos e a redução de 27,3% a/a de unidades concluídas no estoque.

O BB-BI explica que o preço-alvo deriva de um método de fluxo de caixa descontado em termos nominais, com uma taxa de crescimento na perpetuidade (g) de 3,8% e um WACC de 13,0%.

As novas estimativas da equipe do banco consideram um aumento mais robusto de lançamentos de unidades (14.122 e 15.534 em 2018 e 2019, respectivamente), uma vez que a Tenda tem surpreendido a esse respeito nos trimestres anteriores. Como resultado, foi revisto o VGV total lançado em 2018 para R$ 1,9 bilhão e em 2019 para R$ 2,2 bilhões, bem como a estimativa de vendas brutas, que devem atingir R$ 2,1 bilhões em 2018 e R$ 2,3 bilhões em 2019.

O BB-Bi também reduziu o percentual de cancelamentos sobre as vendas brutas a partir de 2018, considerando que a empresa já apresentou um índice menor do que o anteriormente assumido por nós.

Continua depois da publicidade

Como resultado do aumento nos lançamentos e vendas líquidas, a projeção para a receita líquida aumentou levemente, o que levou a uma maior diluição de despesas e maior tanto do EBITDA quanto da margem líquida. Nesse sentido, os analistas esperam que a margem Ebitda se feche em 15,0% e 16,3% em 2018 e 2019, enquanto a margem líquida deverá atingir 12,7% e 13,7%.

Os riscos negativos para a Tenda incluem, entre outros, a falta de disponibilidade de crédito para seus clientes através das faixas 2 e 3 do programa MCMV, e custos de construção mais altos do que o esperado.

Leia mais sobre: Ações, Banco do Brasil, Mercados, Tenda

Última atualização por Diana Cheng - 09/11/2018 - 16:18