Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Bancos argentinos vão precisar de aprovação prévia do banco central para distribuir resultados

Reuters - 30/08/2019 - 20:15
Alguns economistas disseram que a política, que pode limitar a disponibilidade de pesos para instituições financeiras, parece a volta do controle de capitais (Imagem: REUTERS/Agustin Marcarian)

Os combalidos bônus e o câmbio argentino foram arrastados ainda mais para baixo nesta sexta-feira em meio a rebaixamentos da nota do país por três agências de classificação de risco e uma nova política que o banco central disse que vai assegurar a liquidez do sistema financeiro.

Alguns economistas disseram que a política, que pode limitar a disponibilidade de pesos para instituições financeiras, parece a volta do controle de capitais.

“Instituições financeiras precisam obter autorização prévia do banco central para distribuir seus resultados”, disse o banco central em comunicado.

Em um segundo comunicado, o banco disse que a medida visa assegurar a liquidez do sistema financeiro, de forma que os depositantes possam sacar recursos quando necessário.

“Em tempos de grande incerteza, buscamos aumentar a liquidez do sistema para evitar qualquer falta de dinheiro”, disse.

O órgão não tinha porta-vozes imediatamente disponíveis para comentários adicionais.

A nova normativa foi divulgada ao término de uma semana de crescente turbulência financeira na Argentina, após o governo do presidente Mauricio Macri ter dito que buscará postergar o pagamento dos vencimentos da dívida.

Essa nova etapa da crise começou com a votação primária de 11 de agosto, que mostrou Macri, considerado pró-mercado, em larga desvantagem na corrida eleitoral em relação ao oposicionista Alberto Fernández, de centro-esquerda. As eleições, que agora tem Fernández como franco favorito, acontecem em outubro.

“O banco central não está permitindo que eles distribuam resultados, isso significa que não podem usar seus pesos. Isso não é uma restrição de acesso ao mercado cambial, mas sobre a disponibilidade de pesos”, uma fonte familiarizada com o plano do banco central disse à Reuters.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

“O banco central quer que os bancos estejam bem capitalizados no momento”, acrescentou a fonte, que pediu anonimato porque não está autorizada a falar com a mídia.

As agências Standard & Poor’s , Fitch e Moody´s reduziram a nota da dívida argentina nesta sexta-feira.

O peso fechou o dia com perda de 2,72%, a 59,52 por dólar, acumulando desvalorização de cerca de 36% no ano. O spread que mede o risco de default da dívida argentina sobre o dos títulos do governo dos EUA saltou 261 pontos básicos, para 2.533 pontos, maior patamar desde 2005, segundo o índice Emerging Markets Bond Plus, do JP Morgan.

Última atualização por Renan Dantas - 30/08/2019 - 20:15