Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

As ações e os fundos de ações “queridinhos” dos maiores investidores do País, segundo a SmartBrain

Daniela Rocha - 18/06/2019 - 18:16

Por SmartBrain

A pesquisa Big Data SmartBrain apurou quais foram as 10 ações e os 10 fundos de ações dos investidores alta renda e private atendidos por assessores de investimentos independentes. Entre as ações, Petrobras (PETR4) e Vale (VALE3) ficaram na liderança na preferência dos grandes investidores em maio.

No mês passado, o Ibovespa fechou com alta de 0,7% aos 97.030 pontos. Este foi o primeiro maio positivo do principal índice da Bolsa desde 2009.

Continua depois da publicidade

Mesmo diante das dificuldades do governo para articular a Reforma da Previdência e do aumento da tensão na relação comercial entre Estados Unidos e China, o resultado foi positivo. A taxa básica de juros em patamar histórico mais baixo é o principal fator que tem feito avançar o número de investidores, assim como, os investimentos de fundos na Bolsa.

No mês passado, diante das notícias o Ibovespa chegou a realizar lucros e bateu os 89 mil pontos. Este momento acabou sendo uma nova janela de entrada, motivou compras, e logo o índice entrou em trajetória de recuperação.

No final do mês, o cenário ficou mais favorável com a possibilidade de aprovação da Reforma da Previdência e com a perspectiva de corte na taxa Selic próximos meses.

Saiba agora quais foram as ações e fundos de ações mais aplicados em maio:

                                                                                              Fonte: Big Data SmartBrain / *Apesar de ser um ETF de Renda Fixa, tem suas cotas negociadas na Bolsa.

A Petrobras (PETR4) continua sendo a ação preferida dos grandes investidores, que neste ano, até maio, teve alta acumulada de 13,10%. Além da sua alta liquidez e correlação com a Bolsa, a atratividade do papel continua forte porque a companhia segue com seu plano estratégico de venda de ativos, redução dos custos de produção e da alavancagem financeira.

A Vale (VALE3), que estava na quinta posição em abril, subiu para a segunda em maio. A companhia vem recuperando o valor de mercado que tinha antes do incidente de rompimento da barragem de Brumadinho (MG) em função da a alta do preço do minério de ferro, que tem impacto direto na sua geração de caixa. No mês passado, a Vale assinou dois Termos de Ajustamento de Conduta (TACs) para remediar e compensar os impactos socioeconômicos e ambientais. A Vale também foi bastante recomendada, pois anunciou investimentos na ampliação da capacidade de produção de minério de ferro de alta qualidade em seu projeto S11D, em Canaã dos Carajás, no Pará. Esta é considerada uma alternativa importante à eventual diminuição da produção da mineradora em Minas Gerais no médio prazo.

Na lista de preferências dos investidores, além do BOVA11, que visa acompanhar o desempenho do Ibovespa, a novidade é o IMAB11, ETF de Renda Fixa administrado pelo Itaú que replica o IMA-B, índice calculado pela Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) que representa uma carteira de títulos do Tesouro atrelados à inflação. O IMAB-11 foi lançado no dia 20 de maio e teve uma forte captação.

O Itaú (ITUB4), neste mês, avançou do oitavo para o sexto lugar dos papéis mais investidos,  e o Bradesco (BBDC4), Banco do Brasil (BBAS3) e Itaúsa (ITSA4) retornaram à lista das Top 10. O setor bancário foi bastante recomendado.

Outras novidades em maio foram: Pão de Açúcar (PCAR4) e Lojas Renner (LREN3), em função da perspectiva de queda da Selic no médio prazo, o que contribui para uma melhoria das vendas no varejo.

Deixaram o ranking das Top 10 ações mais compradas: Transmissão de Energia Elétrica Paulista (TRPL4), Eletrobras (ELET3)Companhia Siderúrgica Nacional (CSNA3), a Metalúrgica Gerdau (GOAU4) e Braskem (BRKM5). Também saiu dessa lista, o IVV11, que é o ETF atrelado ao Índice S&P 500.

Já os Top Fundos de Ações mais aplicados em maio foram: 

                                                                            Fonte: Big Data SmartBrain / obs: todos fundos de investimentos apresentados na pesquisa são abertos.

O fundo Moat Capital FIC FIA manteve-se no primeiro lugar e o AZ Quest Small Mid Caps FC FI de Ações apareceu na segunda colocação. O Indie FIC FI Ações avançou da oitava para a terceira posição.

Em se tratando dos fundos de ações, a preferência dos investidores private e alta renda continua sendo principalmente por produtos de gestoras de recursos independentes.

Ao analisarmos a lista dos Top 10 fundos de ações mais investidos em maio, vemos que de janeiro a maio deste ano, o desempenho geral foi positivo, com rentabilidades entre 1,14% e 17,73%, sendo que cinco ficaram acima do Ibovespa no período (6,61%).

Observando um horizonte maior, em 12 meses, os retornos dos 10 fundos favoritos foram surpreendentes, de 18,21% a 37,07%, o que comprova o bom trabalho dos seus gestores.

A pesquisa Big Data SmartBrain é feita a partir de dados processados diariamente na plataforma SmartBrain – 183 mil extratos de investimentos que somam mais de R$ 100 bilhões de patrimônio consolidado.

Nesta base de dados da fintech estão um terço de todo o volume dos investidores private no País, além de uma parcela relevante do segmento de investidores de alta renda, que contam com o suporte de profissionais de investimentos – consultores e gestores de patrimônio. Como o sistema de consolidação de

Última atualização por Gustavo Kahil - 18/06/2019 - 18:16