Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

As 5 principais notícias do mercado internacional desta terça-feira

Investing.com Brasil - 26/03/2019 - 8:18
Veja as 5 informações que movimentam o mercado nesta terça

Por Investing.com

Confira as cinco principais notícias desta terça-feira, 26 de março, sobre os mercados financeiros:

Entrevista com Apex Capital: fundamentalista, verdadeira e transparente

Continua depois da publicidade

Garanta um método eficaz para gerar renda adicional periodicamente…

1 – Curva de rendimentos do tesouro permanece invertida

A curva de juros do Tesouro permaneceu invertida pela terceira sessão consecutiva, alimentando temores de uma iminente recessão americana.

Por volta das 6h45, o rendimento de referência, a nota do Tesouro com vencimento em 10 anos estava em 2,437%, após atingir uma mínima desde dezembro de 2017 de 2,393% na última sexta-feira.

Enquanto isso, o rendimento do letra do Tesouro de três meses ficou em 2,459%.

A curva de rendimento invertida é amplamente considerada como um indicador de recessão.

2 – Futuros apontam para abertura em ligeira alta.

O mercado futuro dos EUA, apontava para uma abertura cautelosamente maior, com os investidores mantendo os olhos nos movimentos do mercado de tesouro dos EUA.

O índice blue chip futuros do Dow subia 100 pontos, ou cerca de 0,4%, os futuros do S&P 500 avançavam 10 pontos, ou cerca de 0,35%, enquanto o índice futuro de tecnologia Nasdaq 100 tinha um ganho de 25 pontos, ou aproximadamente 0,35%.

Os índices estadunidenses avançam nesta manhã de terça-feira

Na Europa, os principais mercados em toda a região se movendo em direções diferentes. As bolsas em Paris e Londres subiam ligeiramente, enquanto as ações na Alemanha e em Madri caíam.

A Airbus (PA:AIR) subiu mais de 2% depois que a fabricante europeia conseguiu um pedido da China para 300 jatos, em um negócio estimado em dezenas de bilhões de dólares.

O Brexit permaneceu em foco após os legisladores do Reino Unido terem votado na segunda-feira à noite para assumir o controle do processo Brexit do governo da primeira-ministra Theresa May.

Mais cedo, na Ásia, os mercados encerraram mistos, com o Nikkei do Japão saltando 2%. As ações na China continental, no entanto, terminaram em baixa, com o Shanghai Composite em queda de 1,5%.

3 – Dia agitado no calendário econômico

Vários relatórios econômicos importantes são esperados hoje, com os dados da habitação de fevereiro no topo da agenda.

O Departamento de Comércio deverá divulgar a partir das 9h30 que as licenças de construção caíram 1,3% no mês passado para 1,320 milhão de unidades.

O índice de construção de novas casas, enquanto isso, deverá cair 0,8% para 1,213 milhão de unidades.

O último relatório sobre os preços dos imóveis dos EUA, da S&P/Case-Shiller será divulgado às 10h00.

Dados recentes têm pintado uma imagem preocupante do mercado imobiliário nos EUA, que está lutando com o aumento das taxas de hipoteca e inventário apertado.

Investidores receberão uma peça fundamental dos dados de sentimento econômico quando o Conference Board divulgar sua atualização de março sobre a confiança do consumidor americano às 11h00. A previsão consensual é de uma leitura de 132,0, acima dos 131,4 de fevereiro.

índice dólar, que mede a força da moeda frente a uma cesta ponderada de seis principais divisas, estava pouco alterado em 96,10.

4 – Relatório dos estoques de petróleo do API

No setor de commodities, o Instituto Americano de Petróleo (API, na sigla em inglês), deve divulgar seu relatório semanal para a semana encerrada em 22 de março, às 17h30 (horário de Brasília), em meio a expectativas de um declínio de cerca de 2,4 milhões de barris.

Contratos de petróleo do West Texas Intermediate subiram 66 centavos

Os contratos futuros do petróleo West Texas Intermediate (WTI) subiram 66 centavos, ou cerca de 1,1%, a US$ 59,48 por barril, ao passo que contratos futuros de petróleo Brent ganhavam 50 centavos, ou cerca de 0,8%, para US$ 67,33. por barril.

Com menos de uma semana até o final do primeiro trimestre, o WTI subiu 30% no ano e o Brent 25%, com as duas referências se beneficiando extensivamente dos agressivos cortes de produção realizados pela Opep desde o início de janeiro.

5 -Uber compra a rival do Oriente Médio, Careem. Um negócio de US$ 3,1 bilhões

A empresa de serviços de transporte, Uber, anunciou que adquiriu a rival Careem no Oriente Médio por US$ 3,1 bilhões, comprando o domínio em uma região competitiva antes de uma oferta pública inicial muito aguardada.

A Uber disse na noite de segunda-feira que pagaria US$ 1,4 bilhão em dinheiro e US$ 1,7 bilhão em notas conversíveis em um acordo que lhe dá a propriedade total da Careem, sediada em Dubai.

O acordo há muito esperado encerra mais de nove meses de negociações de início e término entre as duas empresas.

A Uber dará o pontapé inicial de seu IPO no próximo mês e deverá receber uma avaliação de pelo menos US$ 100 bilhões.

– Reuters contribuiu com esta reportagem

Credit Suisse: confiança do consumidor no Brasil é a mais alta dos emergentes

Leia mais sobre: Internacional, Mercados, Wall Street

Última atualização por Bruno Andrade - 26/03/2019 - 8:18