Últimas Notícias Nova Previdência Cotações Comprar ou Vender Criptomoedas Empresas
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

As 5 principais notícias do mercado internacional desta sexta-feira

Investing.com Brasil - 15/03/2019 - 8:59
Libra estável e queda nas ações do Facebook impactam mercado financeiro

Por Investing.com

Confira as cinco principais notícias desta sexta-feira, 15 de março, sobre os mercados financeiros:

1 – Libra está estável enquanto o Reino Unido se prepara para o 3ª votação do Brexit

libra estava pouco alterada em relação ao dólar nesta sexta-feira, em meio a notícias de que a primeira-ministra britânica Theresa May pretende pedir ao parlamento britânico para votar em seu acordo duas vezes derrotado para deixar a União Europeia pela terceira vez na próxima quarta-feira.

Carteira Money Times: O Consenso do Mercado na sua Mão

May tentará convencer os brexistas obstinados em seu próprio partido que – já que não há maioria no parlamento por deixar sem um acordo de transição – o acordo que ela assinou com a UE é a única outra opção.

O governo de May manteve o controle por pouco sobre o processo Brexit durante a rodada de votação nesta quinta-feira. A maioria dos analistas acredita que o acordo dela – ou uma versão menos elaborada dele – é o resultado mais provável, mesmo que venha com um pequeno atraso.

Um Brexit sem acordo ainda é a opção padrão, legalmente falando, já que a UE disse que não aceitará novas discussões. Isso faz com que o acordo May esteja tentando fazer passar pelo Parlamento uma escolha que é “pegar ou largar”.

Perceber que os políticos britânicos mostraram desejo suficiente para evitar deixar a UE sem nenhum acordo, trouxe um alívio que fez a libra subir mais de 1% contra o euro esta semana e mais de 2% contra o dólar.

Garanta um método eficaz para gerar renda adicional periodicamente

2 – As ações do Facebook caem 2% seguindo notícias de que importantes executivos estão de saída

Dois altos executivos estão deixando o Facebook, poucos dias depois da gigante de mídia social anunciar que planeja se concentrar no futuro em mensagens criptografadas.

O abalo da liderança ocorre quando enfrenta investigações do governo sobre como lidou com dados de usuários.

Chris Cox, diretor de produtos da empresa, que está na empresa desde 2005, disse na segunda-feira que estava saindo.

Cox teria supervisionado o plano de Mark Zuckerberg de fundir o Facebook, WhatsApp e Instagram enquanto a empresa se concentra em manter seus serviços melhor criptografados.

“Como o Mark delineou, estamos virando uma nova página em nossa direção de produto, focada em uma rede de mensagens criptografada e interoperável … Este será um grande projeto e precisaremos de líderes entusiasmados para alcançar essa nova direção ”, disse Cox em um post no Facebook.

Enquanto isso, o vice-presidente do WhatsApp, Chris Daniels, também está deixando a empresa e será substituído por Will Cathcart.

As ações do Facebook (NASDAQ:FB) caíam cerca de 2% no pregão de pré-mercado na sexta-feira.

3 – Mercados esperam dados de percepção dos consumidores nos EUA para se animar

Na agenda econômica dessa sexta-feira, os mercados se concentrarão na leitura preliminar de percepção do consumidor da Universidade de Michigan às 11h00.

Os economistas esperam que o índice aumente para 95,3, recuperando-se ainda mais do que era o seu nível mais baixo desde outubro de 2016, no início do ano, quando os consumidores estavam preocupados com o impacto da paralisação do governo.

Também no calendário econômico desta sexta-feira, os investidores assistirão a leituras sobre o estado da produção na área de Nova York, a produção industrial em todo o país e as vagas de emprego e pesquisa de rotatividade de mão-de-obra, conhecida como JOLTs.

4 – Notícias do progresso comercial entre EUA e China impulsionam as ações

Somando-se aos desenvolvimentos em torno Brexit, notícias de novas negociações comerciais entre os EUA e a China impulsionaram o sentimento na sexta-feira.

O vice-premiê chinês Liu He falou por telefone com o Secretário do Tesouro, Steven Mnuchin e o o secretário do comércio Robert Lighthizer, com os dois lados fazendo mais progressos substanciais nas negociações comerciais, informou a agência de notícias Xinhua na sexta-feira.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Mnuchin advertiu que os líderes dos dois países não devem realizar uma cúpula para assinar um acordo até pelo menos abril, frustrando as esperanças de um acordo antes do final do mês.

O mercado futuro dos EUA aponta para abertura em alta nesta sexta-feira. Às 6h44 o blue chip futuros do Dow subia 79 pontos, ou 0,3%, os futuros do S&P 500avançavam 18 pontos, ou 0,3 %, enquanto o índice futuro de tecnologia Nasdaq 100tinha alta de 31 pontos, ou 0,4%.

Do outro lado do Atlântico, bolsas europeias compartilhavam a torcida, com o Stoxx 600 pan-europeu alcançando alta de 5 meses, a caminho para seu maior ganho semanal em um mês.

Mais cedo, bolsas asiáticas superaram os ganhos em ações globais com o Shanghai Composite da China subindo em torno de 1% e o Nikkei do Japão fechando em 0,8%.

5 – Petróleo atinge nova alta em 2019, enquanto a AIE prevê um mercado mais apertado

O petróleo subiu na sexta-feira, marcando novas máximas para o ano, com a Agência Internacional de Energia prevendo uma demanda mais forte pela commodity e sugerindo que o mercado poderia entrar em déficit já no segundo trimestre deste ano.

Segundo a agência, pode haver um superávit modesto no primeiro trimestre, mas espera-se um déficit de cerca de 500 mil barris por dia nos três meses seguintes.

“Ao mesmo tempo, os cortes de produção (OPEP) aumentaram o amortecimento da capacidade ociosa. Isso é especialmente importante agora, já que o sentimento econômico está se tornando mais pessimista e a economia global pode estar entrando em um período vulnerável ”, acrescentou a AIE.

Os contratos futuros de petróleo dos EUA atingiu uma nova máxima de quatro meses de US$ 58,95 durante a noite e manteve a maioria desses ganhos em US$ 58,77 às 5h44, enquanto o petróleo Brent estava em alta de 22 centavos, ou 0,33%, para US$ 67,45.

Leia mais sobre: Internacional, Mercados, Wall Street