Últimas Notícias Cotações Governo Bolsonaro Comprar ou Vender Empresas Economia
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

As 5 principais notícias do mercado internacional desta quinta-feira

Investing.com Brasil - 06/12/2018 - 10:30

Investing.com – Confira as cinco principais notícias desta quinta-feira, 6 de dezembro, sobre os mercados financeiros:

1. Prisão de executiva da Huawei assusta os mercados

Meng Wanzhou, diretora financeira da empresa chinesa de smartphones Huawei e filha de seu fundador, foi presa no Canadá no sábado, após um pedido de extradição dos Estados Unidos. Sua prisão está relacionada a uma investigação sobre se ela violou ou não as sanções contra o Irã.

China criticou os EUA e Canadá sobre a prisão e exigiu sua libertação imediata.

As notícias da prisão, chegam menos de uma semana depois do presidente americano, Donald Trump e seu colega chinês, Xi Jinping, concordarem com uma trégua comercial de 90 dias, e ameaçam reacender o conflito comercial entre as duas maiores economias do mundo.

O sentimento do mercado foi inicialmente impulsionado pelo cessar-fogo do comércio, mas o ânimo rapidamente azedou com o ceticismo de que os dois lados possam chegar a um acordo substancial dentro do prazo de 90 dias.

2. Mercado futuro dos EUA aponta para abertura agudamente em baixa.

Os futuros sobre índices de ações apontaram para uma queda abrupta em Wall Street, com o Dow futures caindo mais de 450 pontos enquanto preocupações sobre as relações EUA-China e uma possível desaceleração econômica pesada.

Por volta das 8h35, o índice blue chip futuros do Dow caía cerca de 480 pontos, ou cerca de 1,9%, os futuros do S&P 500 perdiam 49 pontos, ou cerca de 1,85%, enquanto o índice futuro de tecnologia Nasdaq 100 cedia 167 pontos, ou 2,46%.

As perdas vieram quando os mercados de ações e de tesouro reabriram após serem fechados na quarta-feira para marcar a morte do ex-presidente George H. W. Bush.

Na terça-feira, o Dow Jones Industrial Average perdeu quase 800 pontos, seu maior declínio de um dia desde 10 de outubro.

Preocupações com a saúde da economia nos EUA atingiram os mercados nesta semana após uma inversão em uma parte da curva de rendimento do Tesouro que desencadeou preocupações sobre a fraqueza econômica. Uma curva mais estável é vista como um indicador de uma economia em desaceleração.

3. Cotação do petróleo cai antes da reunião da Opep

Os preços do petróleo caíram após relatos de que o ministro da Energia da Arábia Saudita propôs um corte na produção menor do que o esperado na próxima reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep).

Os contratos futuros de petróleo Brent desvalorizavam US$ 2,40, ou cerca de 3,91%, para US$ 59,15 por barril, enquanto os contratos futuros de petróleo WTI estavam em US$ 50,88 por barril, queda de US$ 2,03, ou cerca de 3,89%.

Os ministros de Petróleo da Opep, a Rússia e outros grandes países produtores se reunirão em Viena na quinta e sexta-feira para revisar seu atual acordo de produção, com uma decisão devendo ser anunciada na sexta-feira.

Representantes da Opep vêm fazendo declarações públicas cada vez mais freqüentes de que o cartel e seus parceiros começarão a reter o petróleo bruto em 2019 para segurar a oferta e sustentar os preços.

De acordo com relatórios recentes, a Opep e seus aliados estão trabalhando para um acordo para reduzir a produção de petróleo em pelo menos 1,3 milhão de barris por dia (bpd).

Além da Opep, novos dados semanais sobre os os estoques comerciais de petróleo também capturarão a atenção do mercado. A Administração de Informação de Energia dos EUA (EIA, na sigla em inglês), divulgará seu relatório semanal oficial de oferta de petróleo referente à semana encerrada em 30 de novembro, às 14h00. Os relatórios serão divulgados um dia após o normal devido ao dia nacional de luto desta quarta-feira.

4. ADP, ISM e pedidos de seguro-desempregos em pauta

Os investidores estarão prestando muita atenção aos números de emprego do setor privado antes do relatório não-agrícola de folha de pagamento do governo na sexta-feira.

O relatório da folha de pagamento do setor privado da ADP sai às 11h15. Em média, os economistas esperam que as folhas de pagamento de novembro cheguem a 196.000, abaixo das 227.000 do mês anterior.

Os números dos pedidos semanais de seguro desemprego serão publicados às 11h30 (horário de Brasília) e os economistas esperam que os pedidos de seguro desemprego pela primeira vez tenham caído para 226 mil em relação aos 234 mil na semana anterior.

Às 13h00, o ISM divulgará sua medida da atividade de serviços de novembro. Espera-se que o PMI não-industrial do ISM tenha baixado para 59,2 no mês passado, de 62,5 em outubro.

5. Iene sobe à medida que a aversão ao risco aumenta

O iene fortaleceu-se à medida que a procura segura da moeda japonesa foi reforçada pela aversão generalizada ao risco nos mercados. O iene é frequentemente procurado pelos investidores como refúgio em tempos de mercado ou turbulências geopolíticas.

O par USD/JPY recuava 0,4% para 112,74, após cair para 112,58, enquanto o par EUR/JPY caía 0,52% para 127.75.

O euro caiu um pouco em relação ao dólar, com EUR / USD predendo 0,12% para 1,1329 após recuar da alta de 1,1419 desta semana, na terça-feira.

índice dólar, que mede a força da moeda frente a uma cesta ponderada de seis principais divisas, estava pouco alterado em 94,31.

A libra estava estável, com o par GBP / USD sendo negociado a 1,2741, enquanto os investidores se preparavam para uma votação chave no parlamento britânico sobre o acordo Brexit em 11 de dezembro, em meio a dúvidas sobre se a votação vai passar.

Com Reuters

Leia mais sobre: Economia, Internacional