Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

As 5 principais notícias do mercado internacional desta quinta-feira

Investing.com Brasil - 27/06/2019 - 8:35
Possível acordo entre EUA-China e esperança dos mercados com a informação estão entre as 5 principais do dia (Imagem: Pixabay)

Por Investing.com

Confira as cinco principais notícias desta quinta-feira, 27 de junho, sobre os mercados financeiros:

1. EUA-China dizem “concordar provisoriamente” com trégua comercial

Surgiram notícias nesta quinta-feira de que Washington e Pequim teriam “concordado provisoriamente” com uma trégua no conflito comercial em curso antes da reunião do G20.

Continua depois da publicidade

O South China Morning Post disse que o acordo iria adiar a rodada pendente de tarifas adicionais da Trump sobre produtos chineses.

Trump sugeriu na quarta-feira que um acordo seria possível, embora ele continuasse preparado para distribuir tarifas para todas as importações da China para os EUA. A Casa Branca confirmou que Trump e Xi terão uma reunião bilateral na manhã de sábado no Japão.

Em um outro conflito tarifário, Trump twittou que o aumento das tarifas da Índia para os produtos americanos era “inaceitável” e “precisa ser retirado”. Índia entrou em ação depois que os EUA recusou-se a isentar o país das novas tarifas sobre as importações de aço e alumínio.

2. Bolsas globais sobem com esperanças de trégua na disputa comercial entre EUA e China

Continua depois da publicidade

As bolsas globais fazem um movimento de alta nesta quinta-feira, enquanto as esperanças de uma potencial trégua no conflito comercial entre EUA e China reanimam o apetite pelo risco.

O mercado futuro dos EUA aponta para abertura em alta após o fechamento misto da quarta-feira.

Mercados
mercados em alta com possibilidade de negociação entre China e EUA(Imagem: Pixabay)

Os futuros do Dow recuam, ou 0,3%, os futuros do S&P 500 sobem 0,08%, enquanto o índice futuro de tecnologia Nasdaq 100 avança  0,12%.

Por outro lado, a perspectiva mais otimista colocou as ações europeias na pista para quebrar uma sequência de derrotas de quatro dias. O pan-europeu Stoxx 600 subia 0,3%.

Continua depois da publicidade

Na Asia, o Shanghai Composite da China fechou em alta de 0,7%, enquanto o Nikkeido Japão ganhou 1,2%.

3. Dados e ganhos podem fornecer direção ao mercado

Enquanto Wall Street parecia pronta para uma sessão de ganhos, o foco do mercado será em vários lançamentos de dados econômicos, bem como relatórios de lucros, que poderiam impulsionar o sentimento.

Depois que o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, enfatizou que o banco central americano está no modo “esperar para ver”, subestimando os cortes agressivos nas taxas, a importância dos dados econômicos se intensificou à medida que os mercados tentam equalisar o quanto as leituras de fraqueza aumentarão o apoio à flexibilização de políticas.

Continua depois da publicidade

A terceira estimativa do produto interno bruto do primeiro trimestre será divulgada às 9h30 e espera-se que não mostre nenhuma alteração em relação ao crescimento de 3,1% observado anteriormente.

Ao mesmo tempo, os pedidos semanais de seguro-desemprego fornecerão mais informações sobre a força do mercado de trabalho americano, enquanto as vendas pendentes de imóveis de maio, que será divulgado às 11h00, vai lançar luz sobre o estado do mercado imobiliário.

Fora dos Estados Unidos, a Alemanha reportará seus últimos números de inflação às 9h00. Semelhante à situação nos EUA, os dados estão sendo observados à luz das expectativas de que o Banco Central Europeu forneça novos estímulos.

Nos EUA em relação aos ganhos, um relatório negativo da ite Aid (NYSE:RAD) irá contrastar com números melhores que os esperados da KB Home (NYSE:KBH) nas negociações de quinta-feira. Antes do sino de abertura, a Walgreens Boots Alliance (NASDAQ:WBA) estará em destaque, enquanto a Nike (NYSE:NKE) deverá fazer a divulgação após o fechamento.

Continua depois da publicidade

4. Novo revés da Boeing deve arrastar o Dow

As ações da Boeing (NYSE:BA) caíram mais de 1% no pré-mercado nesta quinta-feira, enquanto a empresa sofreu mais outro revés com seu 737 MAX.

As ações da empresa recuam no pré-mercado desta quinta-feira (Divulgação)

A Administração Federal da Aviação (FAA, na sigla em inglês) identificou na noite de quarta-feira um novo risco que a Boeing terá que consertar antes que o modelo possa retornar ao serviço.

O anúncio da FAA torna improvável que a Boeing consiga realizar um vôo de teste de certificação como planejado em 8 de julho.

Continua depois da publicidade

5. Preços do petróleo recuando alguns ganhos antes da reunião russo-saudita

Os preços do petróleo caíam na quinta-feira, recuando alguns dos fortes ganhos registrados no dia anterior, quando uma reunião chave entre os líderes russos e sauditas no G20 se aproximou.

Os futuros do futuros de petróleo bruto caía 31 centavos, ou 0,5%, para US$ 59,07 às 5h38, enquanto petróleo Brent estava em baixa de 39 centavos, ou 0,6%, para US$ 65,30.

Os preços do petróleo subiram mais de 2% na quarta-feira, após dados do governo terem mostrado que os estoques brutos dos EUA caíam pelo maior montante desde 2016.

Continua depois da publicidade

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

O presidente russo, Vladimir Putin, deve se reunir com o príncipe herdeiro saudita Mohammed Bin Salman na cúpula do G-20 nesta semana. Os dois provavelmente se concentrarão nas discussões antes das reuniões de 1 a 2 de julho para formalmente decidir sobre uma extensão do atual acordo de corte de produção entre a OPEP e os aliados liderados pela Rússia.

Última atualização por Bruno Andrade - 27/06/2019 - 8:36