Últimas Notícias Imóveis Carteiras recomendadas Comprar ou vender Finanças Pessoais Cripto Economia
Cotações por TradingView

Comprar ou vender?

Anima cai após aquisição de universidade em Goiás

Investing.com Brasil - 17/07/2018 - 13:00

Por Investing.com – Após abrir com alta de mais de 5%, as ações da Anima Educação (ANIM3) perdem força na B3 e agora caem 3,16% a R$ 14,69. Na noite de ontem, o grupo anunciou um acordo para a aquisição de 100% o Centro de Ensino Superior de Catalão (Cesuc) por R$ 31,25 milhões.

O pagamento será feito em parcelas, sendo uma entrada de R$ 10 milhões na data do fechamento da operação, prevista para 1º de agosto. Os demais R$ 21,25 milhões serão pagos em cinco prestações anuais, corrigidas pela inflação, além de contrato de locação de longo prazo dos imóveis.

Como parte do acordo, a Anima ainda pagará até R$ 1,25 milhão entre 2019 e 2012, conforme cumprimento de metas para o resultado operacional.

Fundado em 1982, o Cesuc atua no interior de Goiás, tendo cerca de 2,5 mil alunos matriculados distribuídos em nove cursos de graduação presencial. Em 2017, a Cesuc teve receita líquida de 22,8 milhões de reais e lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado de 5,5 milhões de reais, segundo a Anima.

Para o BTG Pactual a operação está dentro da estratégia de “greenfield acelerado”, na qual a Anima decidiu comprar o primeiro player regional em vez de construir um novo campus.

“A Estácio (ESTC3) também costumava fazer muito isso com valuation atrativo, uma vez que é uma maneira interessante de impulsionar o crescimento, especialmente agora em que o setor está passando por desafios de crescimento orgânico”, diz o relatório assinado pelos analistas do banco e enviado para clientes nesta terça-feira.

O BTG reforça que os últimos resultados da Anima mostraram os desafios na obtenção de ganhos de eficiência capazes de assegurar uma recuperação de margem constante, mas, dada a queda recente, de 46% no acumulado do ano, os analistas acreditam que isso já parece bem precificado e a recomendação para os papéis segue neutra.

Com Reuters.

Últimas Notícias