Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Conteúdo Patrocinado

André Bona: Como investir no Mercado Futuro

10/07/2019 - 10:12

Por André Bona

Você já ouviu falar sobre o Mercado Futuro? Um ambiente de alta liquidez e de inúmeras oportunidades, o Mercado Futuro pode ser uma alternativa interessante para investidores que buscam diversificar suas operações fora do mercado de ações.

Neste artigo, você aprenderá um pouco mais sobre este ambiente e descobrirá como investir no Mercado Futuro de maneira simples e sem dificuldades, a partir do seu home broker. Continue a leitura e saiba mais!

O que é o Mercado Futuro?

O Mercado Futuro pode ser definido como uma evolução do mercado a termo – em um ambiente no qual os investidores e especuladores se comprometem a comprar ou vender uma determinada quantidade de um ativo por um determinado preço para liquidação em uma data futura.

Quem faz operações no Mercado Futuro tem, de maneira geral, o objetivo de especular no mercado financeiro ou realizar negociações para fins de proteção (hedge). E é no Mercado Futuro onde são negociados, entre outros ativos, os contratos de índice futuro – que nada mais são que derivativos do índice Ibovespa, os contratos de dólar futuro, commodities – como o milho, café, boi gordo, e outros contratos.

Assim como ocorre em outros ambientes, o preço de cada contrato varia de acordo com a oferta e demanda. A lógica, neste ponto, é bastante semelhante à operações e movimentações inerentes ao mercado de ações.

Conte com a ajuda da assessoria BTG Pactual digital na hora de investir. Abra sua conta!

Como o Mercado Futuro funciona?

O funcionamento do Mercado Futuro é bastante simples de ser compreendido. Na prática, ele tem algumas características semelhantes ao mercado a termo.

Assim como ocorre com as ações, por exemplo, cada contrato negociado no Mercado Futuro tem um “lote mínimo”, que nada mais é que a quantidade mínima a ser negociada de um determinado ativo – como o dólar, os juros, o índice futuro, as sacas de café, as arrobas de boi gordo, entre outros.

O investimento no Mercado Futuro também é bastante simples. Quando um investidor compra um contrato futuro, por exemplo, os ganhos aparecem a partir da valorização do preço do contrato, enquanto as perdas surgem quando este preço recua em relação ao contrato adquirido.

O mesmo ocorre em operações de venda no mercado futuro: o investidor ganha com a desvalorização do contrato, enquanto perde com a valorização do mesmo.

A principal diferença do Mercado Futuro em relação ao mercado a termo está no processo em si. Diferente do que ocorre ao se investir em ações, por exemplo, o investidor não paga e nem recebe o valor dos contratos que estiver, eventualmente, operando. Ele arca apenas com as oscilações daquele contrato, recebendo os rendimentos ou pagando pelas perdas que podem ocorrer, o que possibilita alavancagem elevada.

Para saber como fazer operações no Mercado Futuro, como funciona a alavancagem, ajuste diário e margem de garantia, acesse o post completo no blog do BTG Pactual digital.