Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Análise: Chantagem comercial dos EUA é “irracional” e “míope”

Opinião - 18/05/2019 - 22:20
“Os Estados Unidos jamais devem julgar mal a situação ou subestimar a determinação chinesa em defender seus direitos e interesses legítimos”, avaliam os editores da principal agência de notícias da China (Pixabay)

Por Xinhua, agência oficial de notícias da China

Os Estados Unidos fizeram um ato irracional para chantagear a China com aumentos tarifários, o que será comprovado com o tempo ser uma atitude míope e destinada a fracassar.

Elevando novamente tarifas sobre os bens chineses, os Estados Unidos escalaram suas disputas comerciais com a China e impediram severamente as negociações.

Porém, ao enfrentar a máxima pressão dos Estados Unidos, a China resistiu e adotou contramedidas poderosas com cabeça fria.

Enquanto o país asiático tem cumprido com suas promessas para abrir seu mercado para o mundo e promovido resolutamente a cooperação de benefício recíproco com todas as partes, os Estados Unidos adotaram a atitude oposta, insistindo no protecionismo comercial.

Como todos sabem, as fricções econômicas e comerciais entre os dois lados foram provocadas pelos Estados Unidos e a China teve que tomar medidas em resposta.

Há mais de um ano a China procura por soluções efetivas para os problemas, com grande paciência e sinceridade. Porém, os Estados Unidos têm sido arrogantes e irracionais durante o processo, tentando todos os meios para difamar, pressionar, ameaçar e chantagear o país asiático.

Por exemplo, os norte-americanos acusaram repetidamente a China de “transferência forçada de tecnologias”, uma reclamação falsa que se tornou uma grande barreira nas negociações.

A autoridade chinesa reiterou que proibiu a transferência forçada de tecnologias e fortalecerá a proteção dos direitos e interesses legítimos dos proprietários estrangeiros de direitos de propriedade intelectual.

A Lei de Investimento Estrangeiro da China, que foi aprovada em março, também proíbe a transferência forçada de tecnologias e enfatiza a reciprocidade.

As companhias dos países desenvolvidos transferiram tecnologias e indústrias para o mercado chinês e através disso ganharam com sucesso benefícios de suas tecnologias existentes, reduziram seus custos de pesquisa e desenvolvimento, acumularam recursos para a inovação futura e maximizaram seus ganhos no enorme mercado da China.

Para se adaptarem melhor ao mercado chinês, as empresas dos Estados Unidos, incluindo Microsoft, Intel e Qualcomm, estabeleceram instalações de pesquisa e desenvolvimento na China e obtiveram recompensas consideráveis através da transferência e autorização de tecnologias.

A cooperação tecnológica foi orientada ao mercado, com as companhias norte-americanas sendo as maiores beneficiárias.

É irracional que os Estados Unidos critiquem a China pela “transferência forçada de tecnologias” depois de ganhar benefícios.

Diante da provocação dos Estados Unidos, a China não tem outra escolha a não ser o contra-ataque.

O país tem a boa vontade para a paz e a sinceridade para a cooperação. Também tem suficiente força e coragem para lutar contra a intimidação comercial.

Os Estados Unidos jamais devem julgar mal a situação ou subestimar a determinação chinesa em defender seus direitos e interesses legítimos.

Ninguém, em qualquer momento, deve esperar que a China engula algo que cause prejuízo a seus interesses essenciais nacionais.

Última atualização por Marcel Salim - 18/05/2019 - 22:20