Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Ambev recua com futuro ministro sugerindo restrição à venda de bebidas alcoólicas

Investing.com Brasil - 21/12/2018 - 14:18

Ambev

Por Investing.com – Na tarde desta sexta-feira na bolsa paulista, as ações da Ambev (ABEV3) operam em queda de 1,25% a R$15,02, após o futuro ministro da Cidadania, do governo de Jair Bolsonaro (PSL), sugerir a restrição na venda dede bebidas alcoólicas no país como política de redução da violência.

A declaração foi dada durante entrevista de Osmar Terra ao jornal O Globo. O futuro ministro destacou que a maior parte dos acidentes e mortes causadas por pessoas embriagadas acontecem sempre depois da meia-noite, e sugeriu colocar limites para a venda de bebidas em lugares mais violentos.

“Não precisa ser em todo o país. Dá para mapear a violência. Há lugares que têm mais homicídios. A experiência de Diadema (SP) está publicada em livros. Reduziu muito o número de homicídios. Era a cidade que mais tinha homicídios em São Paulo e hoje é das que têm menos. A bebida ajuda, né. Diadema colocou até meia-noite, uma da manhã o limite. Depois disso, não se pode vender”, disse Terra ao jornal.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Somente em dezembro, as ações da Ambev acumulam perdas de 8,73% e de 28,39% no ano. Na semana, o desempenho também é negativo em 4,32%.

Resultado fraco

A gigante de bebidas Ambev registrou um lucro líquido ajustado de 2,907 bilhões de reais no terceiro trimestre, queda de 10,2 por cento em relação ao lucro ajustado de 3,237 bilhões de reais no mesmo período do ano anterior, com a receita líquida crescendo apesar da queda do volume vendido.

Sem ajustes, o lucro líquido foi de 2,892 bilhões de reais no terceiro trimestre, ante resultado positivo de 136,5 milhões de reais no mesmo período do ano anterior.

O resultado operacional medido pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado ficou em 4,451 bilhões de reais, ante 4,552 bilhões de reais um ano antes – queda de 2,2 por cento no resultado reportado, mas alta de 9 por cento no resultado orgânico.

Última atualização por Diana Cheng - 21/12/2018 - 14:18