Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Aluguel sobe 3% em um ano, aponta Secovi-SP

Vitória Fernandes - 19/06/2019 - 18:49
Em maio, o aumento registrado foi de 1% (Imagem: Money Times)

De acordo com a pesquisa realizada pelo Secovi-SP (Sindicato da Habitação), o valor médio do aluguel aumentou 3,04% no período de 12 meses (junho de 2018 a maio de 2019). Em maio, a alta no preço foi de 1%.

“Essa variação positiva do aluguel nos últimos 12 meses indica que vivemos um período de ajuste de valores de locação e que o mercado tende a acompanhar a trajetória dos indicadores de preços”, afirma Rolando Mifano, vice-presidente de Gestão Patrimonial e Locação do Secovi-SP. De acordo com ele, as três tipologias registraram alta nos preços em maio: imóveis de 3 dormitórios aumentaram 2,10%; de 2 quartos, 1,20% e os de 1 dormitório, 0,10%.

 

(Imagem: Secovi-SP)

Garantia e locação

A pesquisa também analisou quais foram as formas de garantia mais utilizadas para os imóveis, ficando em primeiro lugar o uso do fiador com 45%. O depósito de três meses de aluguel foi a segunda modalidade mais usada, cerca de 37,5%, e o seguro-fiança ficou em último lugar, com 17%.

Continua depois da publicidade

O IVL (Índice de Velocidade de Locação), que avalia o número de dias que se espera até a assinatura do contrato do aluguel, mostrou que o período de ocupação foi de 18 a 45 dias. Os imóveis que foram alugados com mais rapidez foram as casas e sobrados, 18 a 43 dias, e os apartamentos tiveram um ritmo mais lento, de 24 a 49 dias.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Metodologia

A Pesquisa é organizada em oito grandes regiões: Centro; Norte; Leste (dividida em duas: zona A – que corresponde à área do Tatuapé à Mooca; zona B – outros bairros dessa área geográfica, como Penha, São Miguel Paulista etc.); Oeste (segmentada em duas: zona A – Perdizes, Pinheiros e vizinhanças; zona B – bairros como Butantã e outros); Sul (dividida em duas sub-regiões: zona A – Jardins, Moema, Vila Mariana, dentre outros; zona B – bairros como Campo Limpo, Cidade Ademar etc.). Os dados estão dispostos em faixa de valores por metro quadrado, por número de dormitórios e por estado de conservação.

Última atualização por Diana Cheng - 19/06/2019 - 18:49