Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Acordo sobre divisão de excedente da cessão onerosa deve sair nesta terça

Agência Senado - 08/10/2019 - 16:38
Major Olimpio
Segundo o líder do PSL, senador Major Olimpio, todos os líderes acolheram a previsão de análise do projeto (Imagem: Marcos Oliveira/Agência Senado)

Deve ser fechado ainda nesta terça-feira (8) o texto do projeto de lei que vai tratar da divisão dos recursos do leilão do excedente da área petrolífera da cessão onerosa. A versão final do texto ainda depende de um acordo com os governadores. A intenção é de que o projeto seja votado pela Câmara dos Deputados até quinta-feira (10) e, pelo Senado, na próxima semana.

— Todos os líderes acolheram essa pretensão. Agora nós ficamos nessa expectativa do texto e da votação na Câmara — afirmou o líder do PSL, senador Major Olímpio (SP).

Lei 12.276/10 permitiu à Petrobras (PETR4) pagar R$ 74,8 bilhões à União, sem licitação, pela exploração de 5 bilhões de barris de óleo equivalente na Bacia de Santos em campos do pré-sal — é a chamada cessão onerosa. Após avaliações, descobriu-se que essa reserva tem mais petróleo. Esse excedente é que deve ser leiloado em novembro.

A Lei 12.276/10 permitiu à Petrobras pagar R$ 74,8 bilhões à União (Imagem: EBC)

De acordo com o vice-líder do DEM, senador Marcos Rogério (RO), a tendência é de que os municípios fiquem com 15% dos recursos, divididos pelo critério do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Já os estados podem ter um critério de divisão misto, que leve em conta o Fundo de Participação dos Estados (FPE) e outro fator, os prejuízos com a Lei Kandir, provavelmente.

Um acordo está sendo construído com a participação tanto do Senado quanto da Câmara e ouvindo os governadores em relação a essa matéria para estabelecer os critérios dessa partilha. Para os municípios ficaria como está hoje e os estados teriam um critério misto parte pelo FPE e parte por um segundo o critério que está sendo entabulado — explicou.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Precatórios

A reunião de líderes foi conduzida pelo vice-presidente do Senado, Antonio Anastasia (PSDB-MG). Ele explicou que não haverá sessão do Senado nesta terça-feria em razão da sessão do Congresso.

Na sessão de quarta-feira, segundo Anastasia, o Senado deve votar outro texto  que tem relação com o pacto federativo, a PEC dos Precatórios (PEC 95/2019),  que prorroga até 2028 o prazo para estados, Distrito Federal e municípios quitarem, dentro de um regime especial de pagamento, suas dívidas geradas por condenações judiciais. Pela lei atual, o prazo se encerra em 2024.

Última atualização por Bruno Andrade - 08/10/2019 - 16:39