Quer saber o que comprar agora na Bolsa? Receba as melhores dicas do Brasil

Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Ações preferenciais da Eletrobras recuam e ordinárias sobem após lucro bilionário

13/08/2019 - 13:34
Eletrobras
A estatal registrou no segundo trimestre do ano um lucro líquido de R$ 5,561 bilhões (Imagem: Facebook oficial Eletrobras)

Por Investsing.com 

As ações ordinárias da Eletrobras (ELET3) operam com alta de 0,68% a R$ 43,24, enquanto que os PNB recuam 0,70% a R$ 41,31 às 12:18 após a divulgação do balanço. A estatal registrou no segundo trimestre do ano um lucro líquido de R$ 5,561 bilhões, contra os R$ 1,372 bilhão de um ano atrás, o que representa um avanço de 305% na base de comparação.

Já nos seis primeiros meses do ano, o resultado acumulado é de R$ 6,908 bilhões, alta de 272% ante os R$ 1,856 bilhão dos seis primeiros meses de 2018.

A receita operacional líquida da estatal foi de R$ 6,570 bilhões entre abril e junho deste ano, um crescimento de 11% na base anual, contra os R$ 5,901 bilhões de um ano atrás. Já no primeiro semestre, o resultado avançou 8%, indo de R$ 11,980 bilhões para R$ 12,926 bilhões.

Com isso, o Ebitda recorrente do período foi de R$ 3,113 bilhões, alta de 7,8% ante os R$ 2,888 bilhões do mesmo período do ano passado. Mas, no semestre, houve queda de 2%, indo de R$ 6,140 bilhões para R$ 6,034 bilhões.

A Coinvalores destaca que o resultado positivo foi reflexo da venda de ativos. O lucro líquido da companhia quadruplicou em um ano, entretanto, R$ 5,2 bilhões desse montante são relacionados a venda de ativos de distribuição e SPEs, sendo que o lucro das operações continuadas foi de apenas R$ 301 milhões (-33% frente ao 2T18).

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!

Em termos operacionais, destaque para o crescimento da receita de geração de energia, bem como para o efeito positivo da redução no quadro de pessoal sobre as despesas. O EBITDA recorrente foi 8% maior no período em análise. Destaque para redução de sua alavancagem, com a relação dívida líquida/ EBITDA recorrente caindo para 2 vezes.

Última atualização por Rafael Borges - 13/08/2019 - 13:34